Final de carreira para Badstuber?

badstuber

Holger Badstuber era, há 5 anos atrás, uma das maiores promessas do futebol alemão. Internacional jovem pela Alemanha, viu a época 2009\2010 ser a sua temporada de afirmação quando, no mais profundo desespero provocado por um mau arranque de temporada, Louis van Gaal viu na cantera do clube bávaro um novo balão de oxigénio capaz de inverter a tendência até então demonstrada.

Em 2012, uma grave lesão no joelho nos ligamentos do joelho direito levou o então jogador de 23 anos (nascido em 1989) a 593 dias consecutivos sem poder alinhar pela sua equipa e à morte de um sonho que nunca foi escondido pelo jogador: jogar o campeonato do mundo de 2014 pela selecção alemã.

No início desta temporada, a imprensa internacional afirmou que o regresso do agora jogador de 25 anos seria a melhor contratação da temporada para Guardiola. O espanhol apercebeu-se que o jogador, em condições, tinha lugar no esquema de 3 centrais da equipa germanica, mesmo perante a concorrência apertada de jogadores como Dante, Jerome Boateng, David Alaba (adaptado a central por Guardiola) ou Javi Martinez (jogador que terá que enfrentar um longo período de lesão depois de ter contraído uma lesão grave contra o Borussia de Dortmund no jogo da Supertaça Alemã). Tendo sido titular nas primeiras duas jornadas da Bundesliga, o jogador voltou a lesionar-se com gravidade no sábado, desta feita num dos tendões de aquiles, enfrentando uma paragem estimada de alguns meses.

A imprensa alemã tem advogado durante esta semana a possibilidade do jogador alemão anunciar a sua retirada do futebol profissional. Contudo, o jogador já provou por várias vezes uma imensa força mental capaz de superar os piores momentos e voltar às grandes luzes da ribalta.

– Holger Badstuber é, acima de tudo um grande ídolo da claque do Bayern. Tanto que, na quarta-feira, os adeptos bávaros a meio da 2ª parte do jogo contra o Manchester City fizeram erguer no topo sul do Allianz Arena três tarjas com palavras de alento ao seu jogador. O clube forte que é o Bayern jamais desistirá do seu jogador pela ligação afectuosa que este tem ao clube e aos seus adeptos.

– O percurso de vida de Badstuber é só por si inspirador e demonstra a coragem e a vontade de vencer que o jogador revela: o seu pai obrigava Holder e o seu irmão todos os sábados a visitar pessoas necessitadas nas cantinas sociais da cidade onde nasceu (Memmingen) de forma a que os dois filhos entendessem que na vida tudo só se consegue com esforço.
A educação do homem fez crescer um jogador humilde, trabalhador, que jamais desiste de lutar pelos seus sonhos quaisquer que sejam as suas limitações.

O jovem cresceu, assinou os seus primeiros contratos e o seu pai só não viu o jovem Holger estrear-se pela primeira equipa do Bayern porque um cancro o levou 3 meses antes de Van Gaal dar os primeiros minutos de jogo na Bundesliga. Afirmam os seus colegas na formação do Bayern que Holger é tão organizado e humilde que ainda hoje guarda as cópias de todos os contratos que assinou com o maior clube alemão. Frio e tímido na primeira abordagem com Van Gaal, consta-se que o holandês ficou fascinado com as características do jovem central. Forte no jogo aéreo, sereno a sair a jogar, hábil a desarmar sem falta e a acorrer ao adversário, fruto de um posicionamento exímio, apesar de ter colocado o jovem a jogar à esquerda para tapar o buraco deixado por duas contratações péssimas, escolhas pessoais do holandês (Danijel Pranjic e Edson Braafheid) o alemão não hesitou em dar-lhe minutos de jogo a central sempre que Daniel Van Buyten ou Martin Demichelis não podiam dar o seu contributo à equipa. Holger, assim como outros cantereiros saídos da equipa de reservas do Bayern (Diego Contento, Alaba, Muller) deram um novo ânimo às mudanças que o holandês realizou no clube e foram cruciais na obtenção do título de campeão da Bundesliga em 2011 e na campanha europeia dos bávaros que só terminou na final da Champions desse ano. Seria também importantíssimo na campanha europeia realizada pelo clube alemão no ano seguinte, que também culminou na final numa derrota contra o Chelsea.

A verdadeira doutrina social dos Badstuber, levou a que Holger decidisse abrir em 2012, pouco antes da sua primeira lesão, uma escola de futebol destinada à prática da modalidade por parte de crianças vindas de meios desfavorecidos.

Em Dezembro de 2012, uma lesão cuja paragem era prevista para 9 meses acabou por redundar em quase 2 anos de paragem. O jogador ultrapassou 5 cirurgias durante este período de tempo e nunca deixou de lutar pelo seu regresso. Em Janeiro de 2014 chegou a afirmar ao Bild que estava a lutar arduamente para poder regressar (sem ter jogado durante a temporada e perante uma concorrência enorme pelo eixo defensivo da selecção de Low composta por Howedes, Jerome Boateng, Mats Hummels ou Matthias Ginter) no Brasil à selecção. É portanto um jogador que mesmo no fundo do poço não se contenta em apenas regressar ao seu clube ao mais alto nível como em ser indiscutível de um país onde todos os anos surgem dezenas de possíveis convocáveis para a selecção.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s