O Olheiro #9 – Lucas Andersen, o mágico viking

andersen

Aproveitando o facto de Portugal ter amanhã um duríssimo compromisso oficial em Copenhaga frente à Selecção Dinamarquesa na caminhada para o Euro 2016, urge-me falar daquele que será em conjunto com o já consagrado Christian Eriksen um dos melhores jogadores desta nova geração dinamarquesa.

Lucas Andersen começa a ganhar o seu espaço no Ajax. Consumando um acto de observação e aposta normal das equipas holandesas nos países nórdicos (cheias de olheiros nestes países, os países nórdicos são um grande base de recrutamento do futebol holandês; para terem uma ideia, neste momento actuam 32 jogadores nórdicos nas 18 equipas que compõem a Eredivisie) este jogador recrutado ao Aalborg em 2012 aos 18 anos no final da sua formação (por norma, o Ajax gosta de recrutar jogadores com 15\16 anos para poder acabar de os formar nas suas excelentes academias) está finalmente a ganhar o seu espaço no plantel às ordens de Frank de Boer, sendo a peça fulcral de uma mecânica ofensiva cheia de nórdicos (os dinamarqueses Zimling, Schone e Nicolas Boilesen, o sueco Tobias Sana e o islandês Kolbeinn Sigporsson).

Lucas Andersen é um jogador fantástico. Tendo-se estreado com apenas 16 anos no Aalborg, indiscutivelmente um dos grandes do futebol dinamarquês, foi o 2º mais novo a fazê-lo na liga dinamarquesa. É um jogador que gosta preferencialmente de actuar pelo corredor central na posição de 10. Elegantíssimo nas acções ofensivas que toma, é tecnicamente superdotado, tem uma fortíssima capacidade de drible no 1×1 e sente-se bem a finalizar tanto dentro da área como fora dela com os 2 pés. É um médio inteligentíssimo que gosta de receber no último terço de frente para a baliza, fazer incursões dentro da área e criar para si ou para Sigporsson, ora através do drible seguido de remate, ora através de criação de desequilíbrios nas equipas adversárias a partir dos jogadores que deixa para trás com o seu drible, ora através dos passes que faz para a entrada do islandês nos espaços de finalização na área. É portanto um daqueles jogadores objectivos que joga e faz jogar no último terço. Foram estes atributos de 10 clássico que levaram o Ajax a apostar na sua contratação, precisamente no momento em que o outro dinamarquês (Christian Eriksen) foi vendido ao Tottenham de inglaterra.

Apesar da sua afirmação no colosso holandês, ainda não foi convocado por Morten Olsen para a selecção dinamarquesa, muito em virtude de ter uma enorme concorrência para a sua posição, liderada pelo cérebro desta selecção: Christian Eriksen. Contudo, como Eriksen é essencialmente um organizador de jogo, fazendo da sua capacidade de passe, da sua capacidade de cruzamento e das bolas paradas as suas maiores armas, creio que, dados os skills de Andersen, ambos poderão coabitar muito bem (é possível que caso a selecção dinamarquesa se qualifique para o Euro 2016, o meio campo dos nórdicos seja formado por Eriksen, Schone e Andersen) na selecção. É claro que pelo meio ainda existe o veterano Michael Krohn-Deli, jogador que tem estado em grande forma neste início de temporada no Celta de Vigo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s