Inter de Milão vs Sassuolo

Icardi

No Guiseppe Meazza durante esta tarde defrontaram-se Inter de Milão e Sassuolo, onde o resultado final foi de 7-0, Mauro Icardi foi o homem do jogo com um hattrick. Os restantes golos foram apontados por Kovacic, Guarin e por 2 vezes Osvaldo.

O inter dominou os 90 minutos e logo aos 4 minutos Icardi deu inicio à sua tarde de gloria ao marcar o primeiro golo após uma defesa incompleta do guardião do Sassuolo, aos 21 surge o 2-0, após uma grande jogada entre Icardi e Osvaldo e a conclusão a pretencer a Kovacic que fez o golo, alias Kovacic fez um grande jogou e fez jogar a sua equipa. Passam os minutos e aos 29 surge o 3-0 por Icardi, assistido por Hernandes, o jovem argentino, fora de área atira cruzado, sem hipótese defesa. Ainda antes do intervalo Osvaldo ampliou para o 4-0 após uma grande jogada de Dodo pelo flanco esquerdo, tirou um adversário do caminho e progrediu em velocidade e rematou, mas premitiu a defesa de Consagli, mas não conseguiu agarrar a bola, sobrando esta para Dodo que imediatamente passou para Osvaldo que só teve de encostar para o 4-0, resultado que se verificava ao intervalo

Durante a 2a parte mais do mesmo, e aos 52 minutos o Inter marca o 5 golo através de Mauro Icardi, um grande passe de Kovacic e Icardi de primeira atira para o golo. Aos 55 minutos a única vez que o Sassuolo incomodou a baliza nerrazuri foi atraves de Taider, jogador que se encontra emprestado pelo Inter atirou cruzado, mas Handanovic atento defendeu a 2 tempos. Ao minuto 60 o Sassuolo fica a jogar com 10 por expulsão de Berardi, a estrela da equipa agrediu Juan Jesus sem necessidade e aumentando as dificuldades do Sassuolo. Ao minuto 72 surge o 6 golo, era o bis de Osvaldo após passe de Guarin, e este ultimo aos 74 minutos fixa o resultado final. Uma vitória justissima do Inter que praticou um excelente futebol

A nível individual no Inter a defesa teve uma tarde tranquila, o meio campo muito trabalhador, Dodo pela esquerda deu muita profundidade ao flanco esquerdo, ao contrário Nagatomo foi muito discreto, Medel esteve bem a cortar os poucos ataques do sassuolo, Hernanes e Kovacic estão num grande momento, principalmente o croata, que jogou, fez jogar e marcou. No ataque Osvaldo marcou e deu a marcar, mas o homem da tarde é Icardi que marcou por 3 vezes. Provou que é um excelente ponta de lança, mostra no seu jogo que só vê a baliza a sua frente. tem um remate fácil, forte e colocado, o seu estilo de jogo é simples, mas eficaz. Na equipa do Sassuolo prevê-se uma temporada complicada, a defesa foi muito passiva, sempre ultrapassada pela qualidade técnica do adversário, o meio campo pouco existiu e o ataque um autentico, não se notou Zaza em campo e Berardi apareceu no momento em que foi expulso infantilmente

Anúncios

V. Setubal vs Benfica

talisca_benfica-estoril--isabelcutileiro-benfica2

Esta noite foi o inicio da 4 jornada, o Benfica deslocou-se ao Sado para defrontar o Vitória de Setúbal, treinado por Domingos Paciência, onde a equipa encarnada derrotou a equipa local por 5-0, Anderson Talisca foi o homem do jogo com um hattrick.

Jorge Jesus manteve na baliza o contestado Artur e Samaris  jogou ao lado de Enzo Perez, no lado sadino apenas a surpresa Giovani Rosa na frente de ataque no lugar de Forbes. Em relação ao jogo, de uma forma geral o Benfica dominou, mas o golo mal anulado ao Setúbal numa altura em que o jogo estava 0-1 teve um impacto negativo nos jogadores sadinos. Os primeiros minutos foram equilibrados, mas a passagem do minuto 9, uma jogada do trio Enzo, Gaitan e na conclusão Salvio, com um grande golo, sem hipótese defesa para o guarda redes Lukas Raeder. Após este golo o jogo passou por uma fase menos interessante, mas a passagem do minuto 18 acontece o caso do jogo, Zequinha com um passe fantástico isola Giovani Rosa que contorna Artur e marca, mas o arbitro auxiliar marcou fora de jogo, no meu ver errou e isso afetou os jogadores do Setúbal, A partir dai só deu Benfica e aos 37 minutos acontece o 0-2, cruzamento de Gaitan, a bola é mal aliviada pela defensiva sadina e Talisca a rematar certeiro, sem hipótese defesa. Aos 41 minutos falta do central Miguel Lourenço a entrada da área sobre o Talisca, e o próprio bateu o livre, um remate rasteiro, colocado e com força e fez assim o 0.3, resultado que ficou até ao intervalo. Na 2a parte continuou o domínio do Benfica, aos 49 minutos Lima rematou cruzado ao lado e aos 54 minutos cruzamento de Lima, remate de Salvio para defesa de Raeder e na recarga Talisca a fazer o Hattrick e a fixar o marcador em 0.4. Desde dai o Benfica começou a gerir o jogo e o duelo entre Raeder e Lima continuou onde o guardião Alemão levou sempre a melhor, ao minuto 75 cruzamento de Lima e Ola John a encostar para o 0.5, resultado final. Até ao fim do jogo ainda mais uma oportunidade para Lima marcar, mas sem sucesso e a entrada do italiano Cristante.

Em relação ao Benfica, Anderson Talisca foi o homem do jogo, jogou, fez jogar, marcou, mas ainda tem que melhorar um pouco o seu posicionamento, a defesa cumpriu, (não teve muito trabalho), Samaris foi discreto, Gaitan espalhou magia, Salvio marcou um grande golo e com pormenores interessantes e Lima muito trabalhador, mas a sua exibição pecou pela finalização e Cristante teve pouco tempo para se mostrar e entrou numa fase em que o Benfica geria o resultado. A este Benfica nota-se a necessidade de um matador na área, e esperemos que Jonas seja esse jogador.

Em relação ao Setúbal, foi uma péssima partida, Domingos Paciência tem muito trabalho pela frente. A defesa foi uma autentica auto-estrada, o meio campo teve pouca bola e falta de critério na circulação da bola e o ataque uma autentica nulidade. Individualmente o Guarda Redes Lukas Raeder evitou que a goleada fosse por números mais expressivos e Zequinha o mais inconformado, mas com o passar do tempo tornou-se passivo, tal como toda a equipa

A decadência Turca

turquia
   

Na actualidade desportiva das selecções, existem casos de sucessos e crises devido a diversos motivos. No caso de sucesso destacam-se principalmente a Bélgica, Suiça, Japão e Colômbia, mas ao invés, outras selecções apresentam insucessos como Portugal e outro caso que me chamou atenção e muito pouco tratado pela comunicação social, a Turquia.

Passado 12 anos do fantástico 4 lugar do Mundial da Coreia/Japão, a Turquia vindo a descer de forma, não estando presente em qualquer mundial desde dessa mítica prestação, mas mudou tanto assim esta selecção. Desde já fica expresso o grande poder de Fatih Terim, antiga gloria turca no meio da federação, visto este foi o substituto de Şenol Güneş, um excelente treinador (hoje em dia treina o Trabzonspor e com otimos resultados). Fatih Terim apenas durante  2 anos deixou o cargo, para treinar o Galatasaray e o seu sucessor, Abdullah Avci, que por sinal um péssimo treinador, sem fio de jogo  e desproporcional ao futebol moderno. Mas durante estes 12 anos será que a geração futebolística turca tem apresentado elementos com menor cultura e técnica futebolística? Em comparação da selecção que jogou recentemente com a Islândia e perdeu por 3-0 e que ficou em 4 lugar no Mundial de 2002, existe uma grande diferença da qualidade dos jogadores? Não!

Se formos analisar com maior detalhe estas duas gerações verificamos que em 2002 a Turquia tinha um excelente Guarda Redes, Rustu, o defesa direito Umit Duvala, o número 10 Yildiray Basturk, o mítico 11 Hakan Sukur e o 15 Nihat eram as principais referencias desta selecção, mas hoje em dia só na baliza é que podemos ver uma  diferença de qualidade,  Volkan Demirel é um excelente guarda redes, (apesar de vez em quando gostar de sofrer uns frangos) e não fica muito atrás de Rustu, mas recentemente assumiu as redes turcas o guarda redes  Onur Kivrak, mas com menos qualidade dos que anteriormente referidos. A defesa tem em Toprak a referencia defensiva, acompanhado por Topal na esquerda e Gonul na direita que apesar de não serem excepcionais, cumprem perfeitamente, o meio campo tem grande qualidade, destacando-se a estrela da equipa Arda Turan, que joga mais pela esquerda do ataque, no meio encontramos Inan, e Emre, que apesar da idade apresentam experiência e uma grande qualidade no passe e leitura do jogo e outras soluções como Hamit Altintop e a jovem promessa turca que atua na Roma Salih Uçan. O ponta de lança dispensa apresentações, Burak Yilmaz, um autentico quebra cabeças para as equipas adversarias e como alternativa Mevlut Erding. Com base nisto, digo que e uma solução com um elenco com mais capacidade de melhorar os recentes resultados, tem algumas lacunas, como um companheiro para jogar ao lado de Toprak e um extremo direito acima da média. Posto isto, quais os principais problemas do futebol turco? A federação turca? O seleccionador? ou os jogadores? 

 

 

Hélder Postiga, Hugo Almeida e… João Silva

No primeiro jogo após o decepcionante mundial, Portugal vai defrontar a Albânia.

Após a decepcionante participação no Mundial do Brasil, vários são os motivos apontados para o insucesso da selecção portuguesa, mas agora,  passado um tempo, muitas são as selecções que aproveitam esta fase para criar um novo ciclo, onde começam aparecer novos jogadores, novas taticas e novos modelos de jogo começam a ser “ensaiados” para tirar o maior proveito de todos os jogadores. Na selecção portuguesa, todos os problemas tem como principal protagonista Cristiano Ronaldo, desde da sua utilização, rendimento, entre outros motivos que a comunicação social aproveita para encher capas de jornais desportivos, mas neste momento, Portugal tem uma preocupação muito maior e que não vejo quase ninguém dar relevância a este assunto: O ponta de lança da selecção portuguesa.

Neste ponto podemos destacar 2 pontos de vista;

  1. Quase todas as selecções tem mais do que um ponta de lança acima da média, Espanha com Diego Costa, Soldado, França com Benzema e Giroud, Italia com Balotelli e Immobile, e até mesmo o Gabão treinado por Jorge Costa conta com Aubameyang
  2. Aqui olho mais internamente e verifico que Paulo Bento pré-convocou Rui Fonte, ponta de lança da equipa b do Benfica, penso que isso diz muito da posição de ponta de lança da selecção portuguesa, alias se formos analisar em detalhe as principais referencias ofensivas convocadas por Paulo Bento, verificamos que Hélder Postiga dá mais trabalho aos departamentos médicos das respectivas equipas do que aos centrais das equipas adversárias e Hugo Almeida que se encontra desempregado (também teve azar porque Prandelli foi contra a sua contratação quando tinha tudo tratado com o Galatasaray)

Por isto tudo venho sugerir um jogador que recentemente assinou pelo Palermo e será o substituto de Abel Hernandez no eixo do ataque, falo de João Silva. Após resolvidos os problemas com a sua inscrição, visto que por míseros 33 segundos a transferência teria que ser abortada, mas o recurso apresentado pelo Palermo á federação italiana foi válido e a transferência lá se realizou.

Desde cedo começei a ver João Silva a jogar futebol, desde dos seus 18 anos quando me dirigia ao estádio do clube desportivo das aves e via este jovem ser a referencia ofensiva desta equipa, onde na sua primeira época como profissional apontou 13 golos e isso levou atenção de alguns clubes e por fim conseguiu uma transferência para o Everton por 700 mil euros,

João Silva é um ponta de lança não muito tecnicista, mas com um sentido de oportunidade e capacidade de luta entre os centrais muito grande, e após sucessivos empréstimos, na ultima época aceitou o convite do Bari, equipa da 2a divisão italiana, ao inicio as coisas não começaram bem, foi uma adaptação complicada, mas desde Fevereiro até ao fim da época o seu rendimento disparou e ainda foi a tempo de contribuir com 10 golos no total de todas as competições para o Bari e isso valeu uma transferência para Serie A, onde este ano vai ter barreiras muito maiores, vai lutar contra jogadores como Chiellini, Juan Jesus, Alex, entre outros centrais que defendem os grandes italianos. Não podemos esquecer que o Palermo é um clube que já potencializou grandes pontas de lanças como Cavani e Luca Toni.

Por isso com base nisto tudo, e com jogos contra selecções de menor calibre podemos ver se este jogador tem potencializar para ser o próximo ponta de lança da selecção portuguesa.