Momentos #43

Os 5 golos de Luiz Adriano frente ao BATE Borisov. Para Dunga ver dada a actual carência que o escrete apresenta naquele sector do terreno. O jogador do Shakhtar tornou-se o 2º jogador da competição a alcançar esse feito num só jogo, igualando o record que era detido exclusivamente por Lionel Messi. Creio que o record de Messi foi obtido precisamente contra estes Bielorussos há umas temporadas atrás.

Luiz Adriano não é novo dessas andanças. A própria carreira do jogador de 27 anos tem sido tornada “muito discreta”, muito sobrevalorizada (penso que é o termo mais correcto a aplicar) desde que está na equipa ucraniana. Quem acompanha com maior atenção a campanha desta equipa ucraniana nas últimas edições da Champions e da Liga Europa lembra-se perfeitamente que não existe nenhuma competição em que este não marque alguns golos em todas as competições europeias. O brasileiro já leva 29 golos em 61 jogos realizados nas provas da UEFA e é no campeonato ucraniano, um máquina de marcar golos cujos clubes das grandes ligas internacionais teimam em não querer contratar para as suas fileiras. Basta referir que o brasileiro de 27 anos, formado no Internacional de Porto Alegre é um jogador que apontou 71 golos em 150 partidas pelo clube no campeonato, tendo sido o melhor marcador do campeonato ucraniano em duas épocas, apesar da sua manifesta irregularidade (o seu principal defeito) e da sua personalidade algo problemática (já foi castigado por vários jogos tanto na Ucrânia como nas provas europeias por manifesta falta de fairplay assim como foi um dos brasileiros que se recusou a voltar à Ucrânia em Julho por causa dos conflitos que atingem a zona de Donetsk e obrigaram o clube a sair da cidade e a instalar-se em Lviv).

Por falar no jogador, nos últimos meses tem acrescido a possibilidade de se naturalizar ucraniano de forma a poder alinhar pela selecção daquele país. O jogador não soma qualquer utilização pela Selecção A brasileira, tendo sido internacional sub-20 pela Canarinha.

Momentos #18

Incontornável momento da jornada de ontem foram os dois golos de Jackson Martinez que valeram o empate ao FC Porto em Lviv frente ao Shakhtar Donetsk. O colombiano conseguiu resgatar um jogo que aos 85″ estava irremediavelmente perdido para o lado dos dragões.

O Porto de Lopetégui conseguiu arrancar 1 ponto na deslocação mais díficil do grupo. Digo-o porque, como se sabe, e como o próprio Erneste Valverde admitiu após a derrota do Athletic na Bielorussia frente ao BATE Borisov, a equipa basca está em baixo de forma. Na próxima jornada, terá obrigatoriamente de saber lidar com a pressão de ter que vir fazer um bom resultado ao Estádio do Dragão, tarefa que não se avizinha fácil para os bascos.

Sinal de alarme para o treinador do FC Porto voltou a ser a extrema permeabilidade da sua defesa e as ofertas que Maicon deu à equipa ucraniana.

O Olheiro #5 – Yevhen Konoplyanka – O mágico que veio do frio

kono

Yevhen Konoplyanka é neste momento um dos maiores pontos de interrogação do futebol europeu. Até hoje, auferindo o jogador um ordenado perto dos 1,2 milhões de euros no Dnipro Dnipropetrovsk (um ordenado bastante acessível a equipas de top e mid-level do futebol europeu) e sabendo a qualidade técnica e as soluções de jogo que o jogador acrescenta, toda a europa do futebol se interroga sobre o porquê do internacional ucraniano permanecer na modesta equipa (com lugar europeu por via do seu campeonato) do Dnipro Dnipropetrovsk.

Arrisco-me a dizer que Konoplyanka é neste momento um dos jogadores mais criativos da Europa. Alinhando preferencialmente como extremo-esquerdo (embora possa também jogar como extremo-direito ou atrás do ponta-de-lança) este jogador de 24 anos consegue ser um jogador criativo (quase um 10) a partir da sua ala. Com um recorte técnico apuradíssimo, a fazer ao jus ao melhor que a escola soviética pode oferecer ao futebol, o jogador da equipa onde actuam conhecidos como Bruno Gama, Matheus ou o central internacional croata Ivan Strinic é um jogador muito versátil capaz de decidir jogos quando a equipa assim o precisa assim como passar 90 minutos a oferecer oportunidades aos seus colegas do ataque através do seu mortal 1×1 em velocidade e da sua apuradíssima capacidade de passe e cruzamento. No contragolpe, este jogador de 24 anos é mortífero. Capaz de acelerar em velocidade pelo corredor central, é um daqueles jogadores que não precisa por exemplo de aproveitar inferioridade numérica da equipa adversária neste departamento de jogo – rapidamente cai em cima dos adversários, cria e finaliza a sua própria jogada. Uma das características da equipa orientada por Myron Markevitch é mesmo essa: uma equipa que defende de forma muito fechada e organizada e sai bem em contra-ataque com Kono e mais 2 jogadores. No entanto, defensivamente, até porque a estratégia de jogo da sua equipa o obriga, é um jogador tacticamente valioso porque apesar de ser o diabo à solta no ataque, é um jogador que sabe defender e sabe fechar o flanco quando a sua equipa assim o necessita.

Recentemente voltou a falar-se de um possível saída deste jogador internacional pela ucrânia em 36 ocasiões. O jogador teve a um passo de sair para Liverpool em Janeiro deste ano numa transferência na qual se especulava que os Reds iriam pagar 16 milhões de libras pelo seu passe. Contudo, o presidente do Dnipro vetou a transferência. O jogo iria enquadrar na estratégia de Brandon Rodgers na medida em que é um jogador que adora actuar em ataque livre e espontâneo e consegue meter muita velocidade no seu jogo, características que Brandon Rodgers admira pela filosofia de jogo em velocidade que já colocou em marcha no clube de Anfield Road. West Ham, Manchester United e Zenit também já mostraram interesse no jogador. Só os Hammers apresentaram uma proposta ao clube ucraniano, proposta que rondava os 9,5 milhões de libras.