breves #32

Liga dos Campeões – Na sequência da exposição do Sporting à UEFA, o organismo já fez chegar em comunicado à direcção do Schalke 04 a manifestação promovida pelos leões. A SAD do Sporting Clube de Portugal queixou-se à UEFA da arbitragem do russo Serguei Karasev na partida em questão, manifestando todo o interesse em uma de duas soluções: a repetição do jogo ou a indeminização (por parte da UEFA ou do clube adversário) em 500 mil euros, valor a que o Sporting tinha direito caso o erro de arbitragem no lance da bola na de Jonathan Silva não fosse cometido. O empate na Champions League vale precisamente a atribuição de um prémio pecuniário no respectivo valor. A direcção do Schalke está a estudar a situação, tendo um dos seus mais altos dirigentes feito um comentário irónico contra o sistema de árbitros de baliza inserido nas provas organizadas por aquele organismo. Horst Heldt criticou Michel Platini, afirmando que o líder da UEFA está de parabéns porque o sistema “realmente funciona”.

A repetição da partida será a meu ver um facto praticamente impossível. Nunca naquela competição, dados os erros de arbitragem grosseiros que foram praticados em tantas partidas, algumas delas em fases muito adiantadas da prova (lembro-me daquele Chelsea vs Barcelona ou do roubo descarado que foi a passagem do Borussia de Dortmund às meias-finais em 2013 naquela eliminatória contra o Málaga com 2 erros de arbitragem escandalosos cometidos a favor da equipa alemã nos minutos finais da partida da 2ª mão; no ano passado, aconteceu uma situação semelhante em Amesterdão num Ajax vs Milan com a marcação de um penalty fantasma que deu o empate ao Milan no último minuto) ocorreu existir uma repetição de uma partida por culpa de um erro de arbitragem grosseiro. A repetição da partida seria a criação de um fenómeno novo da prova, fenómeno ao qual a UEFA manifesta-se completamente contra, apesar dos incentivos que tem manifestado ao fairplay ao longo dos anos de existência da competição.

Por outro lado, a “ficção jurídica” de um empate (não-desportivo) por intermédio de uma indeminização de meio milhão de euros, aplaude-se do ponto de vista financeiro mas desvirtua por completo o objectivo da verdade desportiva e camufla os erros cometidos pela arbitragem, não sancionando quem deve ser sancionado. Ou seja, neste caso, os 6 árbitros presentes na partida.

A UEFA já anunciou que vai decidir na terça-feira o protesto apresentado pelo Sporting. Um porta-voz da UEFA explicou à Lusa que a queixa tem por base  o artigo 50 do regulamento disciplinar da entidade que tutela o futebol europeu e que enquadra três alíneas: «Erro evidente do árbitro, clara violação das regras por parte do árbitro com influência decisiva no resultado final» e ainda «qualquer outro incidente que tenha influência decisiva no resultado».

 O Sporting também já respondeu às declarações de Jorge Jesus. O treinador do Benfica lamentou-se que o clube também já foi prejudicado gravemente nas provas da UEFA (referindo-se à eliminatória de há 2 anos frente ao Chelsea nos quartos-de-final e ao jogo de Leverkusen da edição desta época). Bruno de Carvalho aproveitou as declarações para afirmar que o Sporting está disponível para conversar “seja com quem for” em prol de uma visão comum para melhorar o futebol português.

Liga Europa –

As cenas são lamentáveis. Há muito que o hooliganismo dos adeptos britânicos não se fazia sentir na Europa. Os adeptos do Everton envolveram-se em escaramuças com os adeptos do Lille e com a polícia daquela cidade, antes e depois do jogo da Liga Europa que opôs as duas equipas (empate a 0 bolas). Tudo deverá começado na quarta-feira quando um grupo afecto aos Ultras do Lille atacou violentamente várias dezenas de adeptos da equipa inglesa numa zona de esplanadas da cidade. A resposta dos ingleses não demorou muito, provocando um autêntico cenário de batalha durante a tarde e noite de ontem.

O comportamento verificado pelos adeptos dos dois clubes está a ser investigado pela UEFA. O organismo poderá executar sanções contra os dois clubes, sanções essas que podem ir desde a punição básica de realização de jogos à porta fechada para os mesmos ao impedimento expresso de venda de bilhetes para os adeptos dos dois clubes nos jogos que terão que realizar fora.

FC Porto –

lopetegui

As declarações do treinador do Porto na conferência de imprensa de antevisão do jogo frente ao Arouca:

“Não acredito em verdades absolutas. Tratamos sempre de apresentar a equipa que achamos que vai ser melhor para cada jogo em específico. Não queremos terminar a primeira volta com cinco pontos de vantagem, queremos é ganhar a Liga e para isso traçamos um caminho e queremos seguir nele. Estamos bem na Champions e cada onze depende das necessidades de cada jogo. Todos no FC Porto são iguais. Há uns que jogam mais, mas isso não garante nada”.

A rotatividade do plantel será, portanto, para manter. Essa mesma rotatividade de plantel é a principal crítica dos adeptos ao trabalho do espanhol no comando técnico do clube. Aproveitando as declarações de Jackson Martinez, nas quais o colombiano pedia aos adeptos para não assobiarem os jogadores (referindo no entanto que compreende o descontentamento destes), o espanhol aproveitou o momento para frisar que prefere “ser assobiado” em detrimento dos jogadores.

Servia

Euro 2016\UEFA – A UEFA anunciou em comunicado oficial a decisão pendente para a reunião de ontem em relação aos acontecimentos do Sérvia vs Albânia e as respectivas sanções que as cenas mereceram por parte da Comissão de Controlo de Ética e Disciplina daquele organismo.

Pelo facto dos albaneses terem abandonado o terreno de jogo e se terem recusado a jogar, os albaneses perderam o jogo por 0-3 sendo ainda multados em 100 mil euros. Os Sérvios vencem ficticiamente a partida visto que os 3 pontos também lhes serão subtraídos pelos actos cometidos por jogadores e adeptos. (Justiça salomónica). Os sérvios também foram multados em 100 mil euros e punidos com 2 jogos à porta fechada, jogos que serão cumpridos frente à Dinamarca e Arménia. Nenhum jogador das duas selecções foi punido com jogos de castigo.

Juventus – O clube italiano anunciou a renovação de Paul Pogba até 2019. O jogador irá auferir um ordenado líquido de 4,5 milhões de euros por temporada, 3 vezes mais do que aquele que auferia no clube de Turim até hoje.

Sporting – Shikabala ainda não compareceu em Alvalade mas reapareceu publicamente no Cairo num jogo de futebol de 5 com estrelas mediáticas daquele país. O jogador também informou que tem a sua mansão à venda, facto que pode indiciar que o Sporting não lhe tem pago o ordenado. O jogador está sob alçada disciplinar do clube de Alvalade.

Marco Silva continua a preparar a recepção ao Marítimo para a 8ª jornada da Liga. Islam Slimani será a grande ausência da partida do lado da equipa lisboeta. O departamento médico do Sporting reavaliou o estado físico do jogador, concluíndo que este não abandonou a partida frente ao Schalke por problemas musculares graves. Deverá trabalhar de forma condicionada nos próximos dias, não sendo opção para o jogo deste fim-de-semana.

Luis Filipe Vieira\Jorge Nuno Pinto da Costa – O jornal A Bola referiu na sua edição em papel que os dois dirigentes terão almoçado juntos na Mealhada depois da reunião de presidentes de clubes profissionais realizada em Coimbra na 2ª feira.

Luis Duque é efectivamente o candidato que ambos apoiam para a presidência da Liga de Clubes.

Manchester United – A equipa britânica anunciou que o antigo guarda-redes do Barcelona Victor Valdés vai treinar-se durante algumas semanas com o plantel às ordens de Louis Van Gaal. O guarda-redes continua livre. Valdés continua a recuperar de uma lesão contraída em Março, existindo a possibilidade de assinar pela equipa de Manchester.

Luis Suarez

Luis Suárez – Véspera de superclássico em Espanha. O Barcelona soube por intermédio do TAS e da FIFA que pode utilizar Luis Suárez no jogo contra o Real Madrid. Luis Enrique confirmou na conferência de imprensa desta manhã que o uruguaio encontra-se em boas condições físicas e será opção para o jogo que se irá realizar amanhã pelas 18 horas espanholas (17h portuguesas) no Santiago Bernabéu.

Em entrevista ao Sport, o jogador confessou que nunca mais irá morder um adversário, referindo que foram milhares as pessoas que lhe perguntaram se o voltaria a fazer ou se estaria arrependido do acto cometido no Mundial perante Giorgio Chiellini.

Andrea Agnelli – O presidente da Juventus aplaudiu a decisão tomada em Assembleia Geral de accionistas do Inter que visa tornar Massimo Moratti presidente honorário do clube milanês, apesar de já não ser o principal accionista da equipa (agora é o indonésio Erick Thorir).

Inter de Milão – Walter Mazzarri pediu à direcção milanesa a contratação do lateral direito do Bayer de Leverkusen Giulio Donati. Donati tem tido uma utilização intermitente no plantel dos farmacêuticos, partilhando a titularidade com a outra opção para o sector, o croata emprestado pela Roma Tim Jedjav. Donati poderá sair de Leverkusen por perto de 6 milhões de euros. Mazzarri deverá pretender utilizar o jogo como ala direito, num flanco no qual tem como opções Yuto Nagatomo (também poderá fazer o flanco esquerdo, pertencente a Dodô), Danilo D´Ambrosio e Hugo Campagnaro (actualmente lesionado, mas uma opção válida para aquele flanco apesar de jogar preferencialmente como central exterior direito no esquema de 3 centrais de Mazzarri).

 

 

A amizade de Duque com Luis Filipe Vieira

Luis Filipe Vieira 1

Luis Filipe Vieira 2

A 27 de Julho, relatava na edição online do Jornal Record o jornalista António Magalhães, o diálogo mantido por Luis Filipe Vieira e Luis Duque no final da partida de Alvalade (vitória por 1-0 do Sporting com um golo de penalty), diálogo que deu azo na altura à abertura de um processo disciplinar por parte dos leões junto do Conselho de Disciplina da Liga.

Como é evidente pelo diálogo mantido, a linguagem pertence naturalmente a Vieira, espoliado então na partida com um penalty inexistente de Luisão sobre Ricky Van Wolfswinkel que teve o infeliz condão (pelo erro de arbitragem cometido) de materializar uma vitória justa (pelo caudal ofensivo demonstrado pelo Sporting nessa partida) do Sporting sobre o Benfica. Esse jogo ficou, como podem ver pelo video, marcado por uma exibição enormíssima de Quim e pelo afastamento dos encarnados do título português, o primeiro de Vitor Pereira no FCP.
Tomando em consideração a linguagem de Vieira, o “chulo”, o “bandido”, o “amigo” de escolha de árbitros (um dia Duque também será indiciado num processo por causa de certos actos cometidos juntamente com Paulo Pereira Cristóvão) e de manipulação de resultados, é hoje um amigo da onça, ávido a conseguir re-orientar a sua acção no futebol português pela mão de quem outrora o insultou, juntamente com o seu “amigo” do Norte. Mário de Figueiredo é de facto alguém tão poderoso e tão importante, ao ponto de, qual bússola, indicar o mesmo Norte aos dois grandes rivais do futebol português.

A candidatura de Luis Duque à Liga de Clubes

O antigo dirigente do Sporting deverá ter sido o nome “consensual” da reunião de presidentes da Liga (19) realizada hoje em Coimbra. Benfica e FC Porto deverão ter sido os maiores impulsionadores da candidatura deste ao organismo.

Da parte de Luis Duque, a revelação não me choca: Luis Duque provou ao longo da sua carreira enquanto dirigente desportivo, ser um autêntico mercenário na Bola. Foi dirigente na SAD do Sporting, como poderia ter sido na SAD do Porto, do Benfica ou do Vitória de Setúbal. Foi dirigente na AF Lisboa como poderia ter sido na de Santarém, Leiria ou Viana do Castelo. Duque age a favor de quem lhe der mais.

Quanto ao facto de ter sido um nome consensual a Porto e Benfica, tendo em conta o jogo de bastidores aqui relatado por mim no caso da candidatura de Fernando Seara, tudo me faz crer que esta é a candidatura que sucede à extinta candidatura do antigo autarca de Sintra. Contudo, não posso deixar de reparar o timing oportuno do lançamento deste nome e não tenho qualquer pejo em afirmar que se trata de uma candidatura a dois (Porto e Benfica) para conter\acirrar o presidente do Sporting, em virtude do facto de Duque se ter não só tornando persona non grata em Alvalade como um possível alvo (manifestado na última AG extraordinária do Sporting) de expulsão da categoria de associado do Sporting Clube de Portugal e imputável pelos negócios que motivaram o presidente leonino a avançar com um processo judicial contra 4 ex-gestores da SAD do clube (Nobre Guedes, Godinho Lopes, Duque e Carlos Freitas) pelos 3 negócios da discórdia: a renovação de Marat Izmailov e as contratações “às cegas” sem exame médico de Jeffren e Alberto Rodriguez.

FC Porto e Benfica, estarão dispostos a jogar sujo pela hegemonia do futebol nacional perante um Sporting que não se fez comparecer na reunião de Coimbra.

breves #28

Liga de Clubes – A repetição do acto eleitoral para a direcção do organismo já tem uma nova data marcada: 27 de Outubro. Um dos candidatos no primeiro acto eleitoral, entretanto anulado, já anunciou que não irá concorrer no novo acto eleitoral. O ex-presidente do Nacional da Madeira Rui Alves (o vício jurídico na candidatura de Rui Alves encontrava-se no facto de não ter sido esclarecida a saída da SAD nacionalista, entretanto efectuada em prol de Margarida Camacho) anunciou hoje que não irá submeter-se a novo escrutínio.

Num comunicado divulgado durante o dia de hoje, Rui Alves afirma as razões que o levaram a construir um projecto para a direcção do organismo e esclarece que desiste do novo acto eleitoral porque o presidente da mesa da AG da Liga (Carlos Deus Pereira) não soube interpretar as diferenças entre inelegibilidades e incompatibilidade de candidatura ao cargo à luz dos estatutos do organismo.

Parece-me claro, pelo conhecimento de causa que o presidente do Nacional parece demonstrar em relação à injusta distribuição de verbas que é realizada no futebol português, em específico pela Liga de Clubes, uma das bandeiras programáticas de outro candidato, neste caso do seu actual presidente em funções (Mário de Figueiredo) que o voto do Nacional nas próximas eleições deverá cair neste.

albania

Federação Albanesa – O presidente da Federação Albanesa de Futebol pretende uma investigação séria e independente aos factos ocorridos na terça-feira em Belgrado no Sérvia vs Albânia. O líder do futebol albanês afirmou que os jogadores da dita selecção “foram alvo do lançamento de um pedaço de betão, pedras, moedas e isqueiros” antes e durante o decorrer da partida em Belgrado por parte dos adeptos sérvios assim como alvo de gritos estridentes por parte destes a desejar a morte aos Albaneses. Armando Duka afirma que acima de qualquer outra suspeita, os seus jogadores foram vítimas de um comportamento racista, xenófobo e violento por parte dos adeptos sérvios, realçando que aquando da saída da equipa para os balneários, alguns jogadores foram agredidos por agentes de segurança e outros agentes da Federação Sérvia que se encontravam à entrada para o túnel de acesso aos balneários.

Michel Platini – Mais uma ideia louca capaz de estragar o futebol do líder da UEFA. Platini defende que as equipas possam fazer 5 substituições durante a partida. Por um lado concordo com a ideia mas por outro lado é uma ideia que poderá fomentar o anti-jogo, sendo que, nesta ideia, advoga a possibilidade das equipas fazerem duas substituições ao intervalo e 3 durante o decorrer do jogo.

O líder da UEFA também defendeu hoje no lançamento do livro de sua autoria “Parlons Football”, onde de resto apresenta estas e outras tantas ideias para “revolucionar” o futebol, a existência de um cartão branco, um novo cartão que serviria de punição intermédia entre o amarelo e o vermelho, garantindo uma sanção de 10 minutos ao jogador ao qual fosse exibido esse cartão por constantes protestos contra a actuação do árbitro. Este cartão, segundo o presidente da UEFA, servirá somente para estes propósitos que se estão a tornar, segundo palavras do próprio “uma epidemia no futebol mundial”. Não considero também uma ideia válida. Para punir estes actos já existe o cartão amarelo. Basta apenas que os árbitros sejam mais rigorosos no acto de mostrar o cartão a quem prevarique constantemente no decurso das partidas e alguma coragem para expulsar os jogadores que continuem a protestar com veemência depois de receberem um amarelo.

O presidente da UEFA também defendeu a possibilidade dos juízes de baliza entrarem dentro do campo para avaliar mais decisões do que aquelas que se passam na grande área assim como advogou a necessidade de eliminar com a “tripla penalização” (penalty, expulsão directa e suspensão) sempre que um jogador indiferenciado travar um oponente na área como último defesa. Esta última ideia é absolutamente ridícula constituíndo-se quase como um benefício para os infractores.

Michel Platini 2 – O presidente da UEFA aproveitou a ocasião para lançar umas farpas à perpetuação de Blatter na presidência da FIFA: “A FIFA funciona muitas vezes como uma máquina eleitoral ao serviço da manutenção de um homem. (…) É a sua principal característica (…) Não virá desta longa prática do poder uma vontade e uma capacidade de o conservar a todo custo?”

“A FIFA prospera graças ao maná que representa o Campeonato do Mundo de futebol, a cada quatro anos, mas ao mesmo tempo tem as federações [na mão] através da redistribuição deste mesmo maná. “Com mais de quatro mil milhões de dólares em receitas geradas pelo Mundial de 2014, não é normal que o programa Goal (investimentos em infraestruturas) tenha um orçamento anual ridículo, abaixo dos 40 milhões de dólares” – criticou com toda a razão o líder da UEFA. Acrescento mais: com 40 milhões de dólares, quase todos cativos para investimentos em infra-estruturas nos países mais desenvolvidos na modalidade quando deveriam ser investidos na sua maioria nos países que não possuem (boas) infra-estruturas para a prática desportiva.

William Carvalho –

william

O site italiano TuttoMercato publicou hoje uma notícia que dá conta do interesse do Milan no trinco leonino. Segundo o referido site, Adriano Galliani estará disposto a arranjar 35 milhões para fazer uma proposta ao Sporting pelo internacional português. O passe de William Carvalho está na posse do Sporting (60%) e pelo fundo Sporting Portugal Fund, fundo que era até há bem pouco tempo detido e gerido pela Espirito Santo Fundos de Investimento, agora pertença do Novo Banco. Foi este o fundo que adquiriu 40% dos direitos de económicos do jogador em Agosto de 2011 já sob a presidência de Godinho Lopes por 400 mil euros. O Sporting ainda não conseguiu negociar a recompra desta percentagem dos direitos económicos do jogador que tem contrato com a equipa leonina até 2018 e uma clásula de rescisão (não-negociável por Bruno de Carvalho numa possível transferência para outro clube) de 45 milhões de euros.

APAF – José Fontelas Gomes afirmou hoje que a Liga de Clubes se comprometeu a pagar os 25% dos salários em falta (desde Setembro) e prémios de jogo aos árbitros dos escalões profissionais.

Liga de Clubes 2 – A Liga de Clubes vive com enormes carências financeiras. O organismo não tem os seus orçamentos relativos a esta e à temporada passada aprovados pelos clubes. Gasta cerca de 12 milhões de euros na organização das provas oficiais que organiza (Liga e Taça da Liga), menos 9 milhões que as suas receitas.

Rolando – O Inter tentou negociar com o FC Porto nos últimos dias a desvinculação do central português. Rolando quer sair do FC Porto visto que não é opção para Lopetegui. Falou-se da possibilidade de ser emprestado na reabertura de mercado ao West Bromwich Albion da Premier League, equipa onde joga actualmente Silvestre Varela.

O director-geral do Inter Piero Ausilio não chegou a bom porto nas negociações com a SAD Portista: “”Rolando tem 29 anos e contrato até 2016. O FC Porto não o liberta e eu não pretendo voltar a negociar com eles” – disse o dirigente nerazzurri ao TuttoSport.

Selecção Romena – Apesar do 2º lugar do grupo de apuramento para o Euro 2016 e da conquista de 7 pontos em 9 possíveis, Victor Piturca e a Federação Romena decidiram terminar por mútuo acordo o contrato do treinador com a Federação Romena sem justificação aparente, poucos dias após o empate contra a Hungria (1-1) e a vitória na Finlândia (0-2). Lazlo Boloni, Cosmin Contra e Dan Petrescu são os 3 grandes candidatos à posição de seleccionador romeno.

Under-21 Premier League Internacional Cup – Já estão lançadas as bases para a primeira grande competição internacional no escalão de sub-21. A competição irá disputar-se em Inglaterra em Janeiro. FC Porto e Benfica são os únicos representantes lusos na prova que irá contar com a participação de clubes como Chelsea, Norwich, Manchester City, Schalke 04, Leicester, Borussia de Moenchagladbach, Fulham, West Ham, Everton, Sunderland, SV Eindhoven, Celtic e Villarreal.

Daniel Wass – O antigo jogador dinamarquês do Benfica Daniel Wass (passou pelo clube da Luz sem ter feito qualquer jogo oficial), jogador do Evian da Ligue 1, despertou a cobiça de Brandon Rodgers e José Mourinho. O defesa\médio direito está em alta neste início de temporada.

Lucas Ocampos – O Daily Mail dá conta que o Chelsea estará interessado no argentino que o Mónaco recrutou em 2012 ao River Plate. Os Blues estarão dispostos a oferecer 22 milhões de euros ao clube monegasco já na reabertura de mercado em Janeiro.

Dante – A viver na Alemanha há 8 anos, o central do Bayern de Munique revelou que pretende tornar-se cidadão alemão. Quero tornar-me alemão. Gostaria de permanecer na Alemanha após o fim da carreira e isso seria mais fácil se tivesse passaporte” – o jogador aproveitou também a entrevista concedida ao Bild para afirmar que não tem certeza do seu regresso à selecção. Com Dunga no comando técnico da selecção, o central nunca mais voltou a ser convocado.

thiago alcantara

Thiago Alcântara – O jogador espanhol do Bayern de Munique sofreu uma nova lesão queo irá retirar dos relvados por um longo e indeterminado período de tempo. O médio voltou a sofrer a mesma lesão que já o tinha retirado dos relvados por vários meses (e impedido de participar no campeonato do mundo) ou seja, uma rotura parcial do ligamento interno do joelho direito. Foi submetido a uma intervenção cirurgica na terça-feira e irá enfrentar um longo período de recuperação. O jogador afirmou nas redes sociais que vai continuar a lutar para regressar em grande aos relvados.

John O´Shea – O internacional irlandês de 33 anos, capitão do Southampton, renovou com o clube até 2017.

William Gallas –

gallas

O defesa francês anunciou hoje o final da carreira ao L´Equipe. Aos 37 anos, Gallas estava a jogar no Perth Glory da Liga Australiana. O polivalente defesa formado nas escolas do Racing Colombes 92 de Paris e no Centro Técnico Nacional de Formação Francesa de Clairefontaine jogou ao mais alto nível durante 19 anos no Caen, Marselha, Chelsea, Arsenal, Tottenham e Perth Glory. Foi internacional sub-20, sub-21 e AA pela França por 98 vezes (84 delas AA). Ganhou a Ligue 2 pelo Caen em 1996, 2 Premier League ao serviço do Chelsea com José Mourinho (Gallas chegou a ter problemas com Mourinho pelo facto de não querer actuar como defesa esquerdo), uma Taça da Liga pelo Chelsea em 2005, uma Supertaça Inglaterra em 2005 e uma Taça das Confederações pela Selecção Francesa em 2003. Viveu os seus tempos áureos como jogador a central (era impetuoso, muito agressivo, forte no jogo aéreo, muito faltoso mas também muito irregular) no Arsenal de Wenger entre 2006 e 2010.

Juventus – O TuttoSport adiantou em primeira mão ontem que os históricos proprietários da Juventus (a família Agnelli sob a responsabilidade de Andrea Agnelli) pretendem adquirir o controlo de uma SAD em Portugal para servir de clube satélite da Juve. Aproveitando as potencialidades que o futebol português oferece no desenvolvimento de jogadores com potencial, existe uma hipótese da família Agnelli assumir o controlo de um clube da 1ª liga para rodar jogadores por empréstimo da Juve, colocar jogadores extra-comunitários sem espaço nos quadros do clube de Turim ou contratar e rodar jovens talentos que tem saído da formação nacional. O site aponta o Belenenses e o Boavista como possíveis candidatos à recepção de uma proposta por parte dos holders do grupo FIAT. A família Agnelli terá 5 milhões para investir a curto prazo no clube que adquirir. O Granada, clube detido pela família Pozzo (detentora também da SPA da Udinese) é outra das hipóteses que estará a ser equacionada.

CAN – Mesmo apesar do Ministério do Desporto Marroquino ter enviado para a Confederação Africana de Futebol um pedido de adiamento para a competição (que se irá disputar em Janeiro e Fevereiro naquele país) por causa da epidemia de Ébola que tem assolado todo o continente, a entidade que tutela o futebol africano prometeu analisar o pedido no dia 2 de Novembro na reunião que irá ter lugar na Argélia mas afiançou que este não terá grandes probabilidades de diferimento.

A Organização da Prova, a cargo do Ministério do Desporto Marroquino, veio hoje afirmar que a prova não se irá realizar em território marroquino devido à epidemia.

“Vimo-nos obrigados a retirar-nos como sede da Taça de África das Nações de 2015, com efeito imediato, com o intuito de preservar a saúde dos nossos cidadãos. estamos dispostos a assumir as consequências”, declarou uma fonte do Ministério dos Desportos de Marrocos ao portal Supersport. A organização deu 3 soluções à CAF: adiar a prova para 2016, assumir a realização da prova de 2017 ou renunciar totalmente e assumir as consequências ao nível desportivo. A renúncia pode implicar uma sanção que impeça selecções e clubes marroquinos de participar nas provas organizadas pela CAF durante 6 anos.

Marrocos também detém neste momento os direitos de organização do Campeonato do Mundo de Clubes no próximo mês de Dezembro. Contudo, como a prova não deve ser afectada por um fluxo migratório considerável de cidadãos oriundos de países a braços com fortes surtos epidémicos, esta não está em risco.

A verdadeira história por detrás da candidatura de Fernando Seara à liga

Benfica e FC Porto chegaram a um problema: quem é que poderia mandar numa Liga falida, sem orçamento, a contas com um passivo para o qual não tem receitas, e acima de tudo, incapaz de sanear as guerras de horários promovidas entre os dois canais de televisão que detém os direitos de transmissão dos jogos do campeonatos.

Luis Felipe Vieira tinha medo que o FC Porto, devidamente apoiado por Joaquim Oliveira apresentasse o seu candidato. Jorge Nuno Pinto da Costa tinha medo que o Benfica apresentasse o seu candidato ou que o actual presidente em funções se recandidatasse. O mesmo era, aquele que tinha incentivado a sua Comissão de Inquéritos a lavrar um parecer favoravel aos intentos do Sporting no caso do atraso do FC Porto contra o Marítimo. O mesmo foi aquele que nada fez para o Benfica renegociar os direitos de transmissão dos seus jogos em casa com a Olivedesportos, gerando assim a criação do monstro Benfica TV. Ambos tinham medo que o louco Rui Alves chegasse ao poder assim como tinham medo que o Sporting apoiasse Mário de Figueiredo

Vieira convocou um homem de confiança: Seara. Disse-lhe que as coisas estavam difíceis. Incentivou a candidatar-se sem apoio oficial do Benfica. Pediu-lhe segredo em relação à conversa e incentivou-o a ir ao FC Porto procurar um apoio expresso ou tácito de Jorge Pinto da Costa. E Seara lá foi: afirmou que não era o candidato do Benfica. Apresentou ideias para apaziguar a Liga. Prometeu patrocínios. Pinto da Costa concordou não lançar qualquer candidato desde que um nome fosse riscado da mesa: Filipe Soares Franco, ex-presidente do Sporting, persona non-grata até hoje no Reino do Dragão.

Vieira ficou contente. Perversificou. Chamou Rui Rangel. Contou-lhe a conversa com Seara assim como o feedback descrito por Seara numa conversa telefónica após a audiência com Pinto da Costa. Pediu-lhe que informalmente, sem o mencionar, entrasse em contacto com Seara e manifestasse o seu apoio para criar uma lista conjunta. Na verdade, Vieira testou a lealdade de Fernando Seara quando o incentivou a ir ao Porto pedir o apoio de PC e Joaquim Oliveira. Luis Filipe Vieira teve a certeza que necessitava compreender: Seara era afinal um homem capaz de tudo para chegar à presidência do organismo. Seara aceitou. Reuniram-se. Rangel mostrou-se quase sempre desinteressado em ocupar um lugar de destaque da lista de Seara. Não podendo ser candidato à mesa da AG da Liga por ser uma figura muito próxima de Vieira, Seara achou por bem dar-lhe uma vice-presidência no organismo. Rangel declinou a proposta.

No dia anterior à entrega de listas, estava tudo preparado. Seara figurava como candidato à presidência numa lista conjunta com os homens de Rangel, abençoada por Vieira e Jorge Nuno Pinto da Costa, sem que ambos dessem o apoio oficial dos dois clubes ou a cara pelo projecto. O Sporting continuava neutro. Rui Alves seria facilmente aniquilado pelos votos dos afiliados dos dois clubes. Mesmo que à última da hora, o Sporting apoiasse Mário de Figueiredo ou Rui Alves, não teria votos suficientes para vencer a contenda. Há uma reunião num conhecido hotel de Lisboa para afinar vozes. Existe um desentendimento. Rangel muda de ideias e quer ser vice-presidente da Lista depois de receber uma chamada de Luis Filipe Vieira onde este lhe diz que não podem confiar totalmente em Seara. Vieira ordena: “Tens que resolver isso para poderes controlar. Não podemos confiar num tipo que irá ceder perante a pressão deles.” Rangel faz um ultimato a Seara. Seara afirma que não pode mudar a lista porque já se comprometeu com todos os candidatos da sua lista quanto às posições desta. Rangel abandona a sala.

No dia seguinte, Seara apresenta na sede da Liga de Clubes uma lista na qual é candidato à presidência. Rangel faz o mesmo, apresentando uma lista exactamente igual à de Seara com o antigo autarca da Câmara Municipal de Sintra como candidato à presidência. E é aqui que começa todo o embróglio…

(este post terá continuação)

breves #19

Hugo Almeida –

hugo almeida

O ponta-de-lança português assinou pelo Al-Nasr, equipa dos Emirados Árabes Unidos. O jogador estava sem contrato desde 30 de Junho, altura em que o seu vínculo de 3 anos e meio terminou com os turcos do Besiktas. Durante o verão, o jogador esteve muito próximo de assinar por Cesena e West Ham. Apesar de ter ultrapassado o fecho do mercado como um jogador livre, sendo passível de assinar por qualquer clube fora da janela de transferências, nenhum clube europeu manifestou interesse no internacional português que agora vai para o Médio Oriente prosseguir a sua carreira.

Sepp Blatter – O mais alto dirigente do futebol mundial, recandidato ao lugar, afirmou hoje uma das linhas programáticas para o seu próximo mandato: criar jurisprudência desportiva que proiba a acção que os fundos de investimento em jogadores exercem actualmente no futebol mundial.

UEFA\SPORTING – A UEFA publicou na sua página oficial que o Sporting e mais 6 clubes estão a ser investigados pelo seu Comité de Controlo Financeiro (CFCB) por alegadas violações às regras do fairplay financeiro impostas por aquele organismo. Segundo nota publicada no site oficial do organismo, devidamente traduzida: “O CFCB iniciou uma investigação formal a sete clubes (Mónaco, Roma, Besiktas, Inter, Krasnodar, Liverpool e Sporting) por terem apresentado resultados negativos nos relatórios financeiros dos períodos de 2012 e 2013″ – o organismo anunciou também que cinco clubes – Bursaspor, Cluj, Astra Giurgiu, Buducnost Podgorica e Ekranas – viram os seus prémios financeiros retidos. Os clubes sob investigação tem os meses de Outubro e Novembro para apresentar informação complementar para evitar possíveis castigos que vão desde a retenção de prémios europeus à impossibilidade de gastar mais que um valor definido pela UEFA em contratações nesta e na próxima temporada, entre outros castigos possíveis.

A Sporting SAD já fez emitir um comunicado no site oficial do clube, remetendo a violação das regras por parte da anterior direcção da SAD do Clube, cujos responsáveis são Luis Godinho Lopes e Luis Duque.

Bruno de Carvalho – “Absolvição de Pinto da Costa é uma vergonha!” – O presidente do clube leonino afirmou à Sporting TV: “Infelizmente não é nada que não estivéssemos à espera. É dos casos mais vergonhosos do futebol português que infelizmente termina assim. O futebol tem a mania de não querer intromissões… Neste caso houve uma decisão técnica de um tribunal civil, que decidiu pela não legalidade das escutas, e o futebol agarrou essa decisão para ilibar quando toda a gente ouviu e sabe o que ele fez. Não posso por isso admirar uma pessoa que fez isto para alcançar o sucesso”

Lionel Messi\Wellington Oliveira – A cena protagoniza pelo brasileiro e pelo argentino nos minutos finais do jogo disputado na quarta-feira entre Málaga e Barcelona foi explicada pelo Brasileiro. O Brasileiro confessou que apertou com as mãos o queixo do argentino porque alegadamente este o terá insultado de “filho da puta”.

FC Porto\Sporting\João Moutinho –

João Moutinho

A C0missão Arbitral da Liga obrigou o FC Porto a pagar 1,8 milhões de euros ao Sporting pelas mais valias do negócio celebrado com o Mónaco aquando da transferência de João Moutinho. O Sporting reclamava receber 25% das mais valias realizadas no negócio (cerca de 3,5 milhões de euros por 14 milhões de mais valias – o Porto comprou Moutinho por 11 e vendeu por 25).

Na sua defesa, a SAD do FC Porto alegou que desse valor se deveriam “descontar” valores respeitantes ao mecanismo de solidariedade FIFA e parte da comissão ao intermediário do negócio, Jorge Mendes. Feito um pagamento de 1,7 milhões aquando da altura da transferência, a Comissão Arbitral obrigou a SAD do Porto a pagar os restantes 1,8 milhões para contabilizar os 3,5M pedidos.

A estranha cruzada de Bruno de Carvalho contra os fundos de investimento em jogadores

bruno de carvalho

Sendo eu um temível sportinguista (a roçar o fanatismo, confesso), sócio do clube activo (ainda esta semana contribuí para a Missão Pavilhão) e um indefectível defensor de Bruno de Carvalho, não sou toldado intelectualmente ao ponto de embarcar em toda a quimera populista que tem marcado este ano e meio de mandato do “presidente sem medo” (alusão clara ao facto de Bruno ser neto do Almirante sem medo, Pinheiro de Azevedo, figura política do período do PREC).

Neste último ano e meio, é assertivo dizer que Bruno de Carvalho deu um novo rosto ao Sporting Clube de Portugal. Ao romper com as linhas programáticas profundamente erráticas e erradas dos seus antecessores (em sportinguismo diz-se da “dinastia croquete”) Bruno de Carvalho assentou de novo o Sporting Clube de Portugal no caminho que todos os sportinguistas há muito anseavam: um clube moderno, com uma excelente gestão e com uma excelente margem de evolução da sua inexistente marca.

Em ano e meio de trabalho, Bruno de Carvalho conseguiu devolver o Sporting à luta pelo título no futebol e em várias modalidades, fazendo com que estas pudessem optimizar todos os seus recursos e fazer mais com menos:

– Assente numa gestão equilibrada de recursos, renegociou a dívida do clube (ao nível da estrutura da dívida, ao contrário do perdão de dívida que muitos tem bradado por aí aos 7 ventos), já amortizou algum do passivo consolidado do grupo (SAD + Clube + Sporting SGPS), conseguiu resgatar percentagens de direitos económicos de alguns jogadores (na posse da Holdimo) através de uma acção de engenharia financeira onde trocou as mesmas por acções na SAD verde e branca, após um aumento de capital social no clube, reduziu em cerca de 40% os orçamentos do futebol e das várias modalidades (com resultados satisfatórios tendo em conta os obtidos pelos seus antecessores), acabou com as mordomias de luxo a que tinham direito alguns dos administradores da SAD, reformulou as despesas de manutenção do estádio, da Academia de Alcochete, das Piscinas do Clube e da Pista de Atletismo Moniz Pereira, conseguindo diminuir os custos de manutenção destas em 30% e ainda conseguiu, logo no primeiro mandato, apresentar um lucro positivo de 7 milhões de euros na SAD na primeira época desportiva. Só no futebol, entre dispensas de jogadores com ordenados elevados, receitas de estágio, vendas de jogadores, direitos televisivos, direitos de imagem, marketing e merchandizing, Bruno de Carvalho conseguiu acrescentar aos cofres do Sporting cerca de 70 milhões de euros, valor que de resto está a ser aplicado na redução do passivo consolidado, no novo pavilhão que o Clube pretende construir para as suas modalidades de pavilhão e na recompra de percentagens de passes de atletas que não estavam na posse do Sporting Clube de Portugal mas na posse de fundos.

– Ao nível da marca Sporting, Bruno de Carvalho tem optado por medidas que visam incrementar o valor desta para os cofres do clube, através de sucessivas campanhas que tem tido um nível interessante de adesão e sucesso (novas modalidades de associado do clube; campanha gamebox – 28 mil vendas registadas até 31 de Agosto; campanha da camisola do 12º jogador; Missão Pavilhão – 9 milhões de euros angariados até ao momento junto dos associados; Bilhetes AntiCrise para os jogos em casa; projecção do clube e da sua maravilhosa formação em países como a India, Moçambique, Canadá, Angola, Cabo Verde, África do Sul, China, Estados Unidos da América, Reino Unido, Rússia; abertura de novas escolas de formação do Sporting em várias capitais de distrito do território nacional, ilhas, África do Sul, Canadá, India, Moçambique, Guiné-Bissau).
Outra prova do empenho que o presidente tem mostrado em valorizar a Marca Sporting foi a criação da Sporting TV, canal de televisão que tem aproximado ainda mais o publico sportinguista do clube.

– Desportivamente, perante um cenário de crise (relembro que na renegociação com os credores em Junho do ano passado só existiam duas alternativas; a renegociação da estrutura da dívida ou a necessidade de requerer um PER; solução que não interessava aos bancos) Bruno de Carvalho foi dotando o clube de equipas competitivas, que, actualmente, a bom da verdade, fazem sonhar os sportinguistas com a hipótese de conquista de títulos.
Apostando também na formação, o Sporting é inegavelmente hoje, novamente, um grande clube formador europeu e um clube que procura constantemente apostar na prata da casa em detrimento das soluções que o mercado de transferências vai oferecendo a Alvalade.

Contudo, o presidente leonino tem apostado, noutro prisma, por algumas cruzadas pessoais (arrastando a imagem da instituição consigo) as quais algumas aprovo (o Sporting precisava há muito de um líder forte, capaz de se impor) e outras não aprovo.

Cruzada #1 – A cruzada contra o FC Porto – Diz-se que tudo começou em Junho de 2013 na final da Taça de Portugal de Andebol, disputada no Algarve entre FC Porto e Sporting. Nas bancadas do pavilhão, o administradores da SAD do FC Porto e vice-presidente do clube Adelino Caldeira, um dos braços direitos de Jorge Nuno Pinto da Costa, perito em provocar dirigentes dos rivais neste tipo de infraestruturas desportivas, deverá ter deixado Bruno de Carvalho de mão estendida quanto este se encaminhava para o cumprimentar, mandando alguns impropérios para o ar contra o presidente leonino. Nesse mesmo dia, o Sporting Clube de Portugal rompeu relações com o clube portuense e, alegadamente, este voltou a vingar-se do Sporting nas transferências de João Moutinho e James Rodriguez para o Mónaco, modificando os valores pelos quais o médio internacional português foi vendido em conjunto com o Colombiano, para penalizar o Sporting num negócio onde a equipa leonina tinha a possibilidade de encaixar 25% das mais-valias resultantes de um negócio acima dos 11 milhões de euros, valor pago pelo FC Porto ao clube leonino na aquisição do actual jogador do Mónaco. Desde então, é costume o presidente do Sporting negar-se a sentar à mesma mesa onde esteja um responsável directivo dos dragões.

Cruzada #2 – A cruzada contra Bruma e o seu empresário. Bruma reinvindicava ser um jogador livre quando tinha 1 ano de contrato por cumprir com o Sporting, cuja opção pertencia ao Sporting. O seu empresário e o seu representante legal (Catió Baldé e Bebiano Gomes) alegavam que a anterior direcção do Sporting tinha assinado um contrato-promessa inválido com o jogador, não devendo este cumprir esse mesmo ano de contrato. Estes dois agentes começaram a contenda juntos, separando-se rapidamente com o decurso da mesma: Bebiano Gomes revelou ser o representante legal do jogador\empresário visto que Baldé não tem em sua posse nenhum documento legal que o identifique como empresário de acordo com as regras da FIFA. O Sporting recorreu a uma Comissão Arbitral Paritária da Liga, comissão destacada por aquele organismo para resolver situações relacionadas com o contrato de trabalho de jogadores profissionais. Bruno de Carvalho sempre reiterou durante este processo que o Sporting tinha razão na questiúncula jurídica e, caso não lhe fosse dada razão, iria até às últimas consequências para lhe ser dada razão, ou seja, os tribunais civis. A CAP deu razão ao Sporting e o Sporting tratou de arranjar o melhor negócio para ambas as partes: sendo Bruma um activo interessante da SAD em último ano de contrato e um jogador desejado por vários clubes europeus com posses financeiras, foi vendido ao Galatasaray por 12 milhões de euros. Ambas as partes ficaram a ganhar no negócio.

Cruzada #3 – Na sequência do caso Bruma, Bruno de Carvalho começou uma cruzada contra os empresários. Avançando com a ideia que o Sporting não seria novamente um nicho ávido para estes lucrarem com chantagens, incentivou vários jogadores a desmarcarem-se dos seus empresários assim como deixou de prometer comissões aos empresários que iam trazendo reforços e possíveis reforços para o clube de Alvalade.

Cruzada #4 – A arbitragem. Bruno de Carvalho foi um dos primeiros presidentes do futebol português, senão o primeiro a admitir que o Sporting tinha sido beneficiado e prejudicado durante a última temporada desportiva. O presidente do Sporting iniciou uma autêntica cruzada contra o Conselho de Arbitragem da FPF após os prejuízos desportivos arcados nas eliminações precoces da Taça da Liga, Taça de Portugal, e nos empates obtidos frente a Nacional, Vitória de Setúbal, Académica, Estoril, resultados que ajudaram o Sporting a distanciar-se da possibilidade de conquistar o título nacional. Criou-se um movimento de adeptos leoninos contra as arbitragens chamado “Movimento Basta”, movimento que teve a sua génese num apelo do presidente. A cruzada que o presidente iniciou neste campo poderá ser prejudicial ao clube durante esta temporada.

Cruzada #5 – A cruzada por um futebol mais transparente. A célebre reunião de clubes profissionais realizada em Alvalade na temporada passada foi o mote de partida que o presidente do Sporting escolheu para apresentar às instituições que tutelam o futebol em Portugal (FPF, Liga de Clubes) e aos órgãos de soberania (Governo através da Secretaria de Estado do Desporto; Assembleia da República) um documento onde foram apresentadas algumas medidas para estes avançarem com a reformulação do paradigma do futebol português. O documento contem entre outras medidas de menor importância, alterações às actuais normas que regulam a relação entre clubes e arbitragem, clubes e federação, direitos televisivos, apostas online, tabela de preços praticados no sector, impostos cobrados pelo Estado nas vendas realizadas no sector (principalmente no preço dos bilhetes; uma das medidas visava reduzir o IVA cobrado nos bilhetes de 23% para 6%).

A última cruzada de Bruno de Carvalho deu-se com os fundos de investimento de jogadores.

Os fundos de investimento mobiliários tem neste momento uma existência ambígua na europa do futebol. Se em campeonatos como o Inglês, Alemão e Holandês não são permitidos por lei, pelos estatutos das federações ou das competições, noutros campeonatos como o português, espanhol, italiano ou Russo, são fontes predominantemente utilizadas pelos clubes para aquisição de jogadores que de outra forma não teriam acesso ou refinanciamento da actividade. Isto é, ou os fundos adquirem juntamente com os clubes certos jogadores, recebendo uma determinada percentagem acordada contratualmente entre ambos em caso de venda, ou o clube assume a compra do jogador e negoceia a venda de parte dos direitos económicos do jogador a um fundo, podendo no futuro recomprar a parte alienada ao fundo por um valor contratual negociado ou renegociável com o mesmo, quase sempre no final de cada temporada desportiva.

O caso Rojo marcou o auge da ruptura de Bruno de Carvalho com os ditos fundos. Isto porque, existindo uma proposta de 20 milhões de euros do Manchester United pelo jogador, detendo o Sporting apenas 25% da transferência (os restantes 75% eram detidos pela Doyen Sports, fundo de investimento que cobriu 3 dos 4 milhões investidos pelo jogador aquando da sua contratação ao Spartak de Moscovo; o Sporting apenas deu um milhão na referida contratação), tendo ainda o Sporting que indeminizar o Spartak de Moscovo em cerca de 50% do valor que arrecadasse com o negócio, o Sporting só iria lucrar 2 milhões com a venda do jogador para o clube de Manchester.

Aproveitando um comunicado lançado pela Doyen Sports a respeito da renúncia mantida pelo clube de Alvalade em vender o atleta pelo valor da proposta, Bruno de Carvalho rompeu a ligação do clube à Doyen por via do contrato celebrado aquando da contratação do internacional argentino ao clube russo, alegando que a Doyen teria violado uma das cláusulas desse mesmo contrato, em concreto, o impedimento que a Doyen tinha em negociar o jogador com um clube terceiro bem como revelar informações sobre o contrato do jogador ou o valor pelo qual o Sporting estaria disposto a negociar. Segundo o contrato assinado pela administração Godinho Lopes e a Doyen, só o Sporting estaria mandatado a negociar uma transferência do jogador para terceiros. O Sporting recebeu a garantia de 20 milhões prestada pelo clube inglês e não se apressou a efectuar o respectivo pagamento de 15 milhões de euros cativos ao fundo. O caso seguiu para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), vara jurídica onde, Bruno de Carvalho, voltou a reiterar a extrema possibilidade da causa ser ganha pelo Sporting, em virtude da aceitação por parte do TAS da jurisprudência que anda a ser criada pelos organismos tutelários do futebol mundial e europeu (FIFA, UEFA) na sua cruzada junto das federações para criar legislação que não permita a existência e acção de fundos de investimento.

Enquanto a decisão não sai, uma coisa é certa afirmar: a cruzada de Bruno de Carvalho contra os fundos poderá ser bastante nociva ao Sporting. Não detendo capitais próprios nem linhas de crédito junto da banca para poder realizar contratações acima de determinados valores (2\3 milhões de euros, no máximo), os fundos poderiam ser os maiores aliados do clube leonino no mercado, visto que poderiam ajudar o mesmo a atacar alvos apetecíveis a um custo muito reduzido, ora arcando os segundos com o valor das transferências, ora arriscando o clube na compra do jogador através de um mecanismo de engenharia financeira assente numa garantia: uma entidade bancária emite a garantia acima das possibilidades reais de crédito do clube desde que este apresente a garantia em como é capaz de reembolsar a entidade bancária com recurso à alienação dos direitos económicos do jogador contratado junto de terceiros. Não tendo linhas de crédito sólidas que permitam investir 4 ou 5 milhões numa mais-valia desportiva para a equipa de futebol, o desgaste que Bruno de Carvalho criou com todos os fundos de investimento através do rompimento da ligação contratual com a Doyen Sports, levará o Sporting a apenas poder licitar jogadores que estejam em final de contrato ou a baixo custo (1\2 milhões de euros no máximo). Os investidores, detentores destes fundos, agentes que não gostam de perder um cêntimo nos negócios que celebram, não terão confiança necessária para estabelecer uma parceria com um clube que, se aproveitou dos capitais de um fundo de investimento para adquirir um activo, cuja rentabilização clara, levou o clube de seguida, ou por necessidade de ganhar mais do que aquilo que poderia ganhar de facto, ou por razões contratuais, rasgou o contrato que tinha com esse fundo e lucrou, até ver, todo o bolo da transferência. Esse decréscimo que Bruno de Carvalho estimulou junto dessas entidades, poderá retirar no futuro, qualidade à equipa desportiva em sectores onde a formação não garanta suficiência do clube; contudo, já foi reiterado várias vezes pelo presidente do Sporting a necessidade extrema que o clube tem em competir, maioritariamente, com os produtos da sua formação.