Momentos #36

Graziano Pellè estreou-se pela Squadra Azzurra a marcar frente a Malta, marcando o único golo da vitória por 1-0 da Squadra Azzurra de Conte frente a selecção daquela ilha do mediterrâneo.

Anúncios

frase da noite

pirlo 7

As declarações pertencem a Andrea Pirlo. Quando as li, confesso que me caiu o queixo. Pirlo tem 35 anos, 661 jogos enquanto sénior, 112 internacionalizações pela Itália, 87 jogos pelas camadas jovens da selecção italiana, 5 títulos da Série A, 2 Ligas dos Campeões, 1 título mundial, um campeonato europeu de sub-21, uma medalha de bronze nos Jogos Olímpicos, 1 Taça de Itália, 3 Supertaças de Itália, 1 Mundial de Clubes, 2 Supertaças europeias e um palmarés individual de mais de 30 distinções honrosas, ora para melhor jogador italiano, ora para melhor jogador da Série A, ora para melhor centrocampista da temporada, assim como para os onzes de grandes competições internacionais. Aos 35 anos tem tudo o que um homem deseja durante toda a uma vida: muito dinheiro, glória, títulos e um legado que será eterno dentro do futebol italiano. Contudo, quer mais. Aos 35 anos, a 4 anos de um Mundial que o irá apanhar com 39 (dada a longevidade do jogador italiano, a sua regularidade e a ausência de lesões ao longo da sua carreira é possível que consiga lá chegar) Pirlo quer vencer o campeonato do mundo pela 2ª vez.

Mas Andrea Pirlo aos 35 anos, para além da quase eterna regularidade com que nos tem brindado desde há 15 anos para cá, quer mais… Por Conte voltou atrás na sua decisão de renunciar à Squadra Azzurra. Por Conte, quer vencer novamente o campeonato do mundo. Na conferência de imprensa que se seguiu à vitória da Itália contra a selecção do Azerbeijão, disse Il Architetto:

“Da piccolo sognavo di giocare in Nazionale, di vincere un mondiale, ho avuto la fortuna di farcela, ma nel cassetto ho altri sogni, voglio vincere ancora” – Traduzindo: “Desde pequeno que sempre sonhei em representar a Selecção Nacional e vencer um mundial. Tive sorte de o conseguir uma vez. Mas, não me fico por aqui. Tenho outros objectivos: quero vencê-la novamente”

Momentos #30

A selecção Italiana teve muitas dificuldades para bater a selecção do Azerbeijão no jogo disputado hoje no Renzo Barbera em Palermo. Giorgio Chiellini alcançou o seu primeiro bis com as cores da Squadra Azzurra perante uma selecção azeri que exibiu ao longo dos 90 minutos (só não acompanhei a partida nos primeiros 20 minutos do segundo tempo) de acordo com a sua imagem de marca: extremamente defensiva no seu bloco baixo nos últimos 30 metros, muito bem organizada, incapaz de conceder espaços para os italianos jogarem e muito rápida nas transições em contra-ataque.

breves #24

Graziano Pellè –

Graziano Pellè

O robusto avançado italiano que Ronald Koeman levou do Feyenoord para o Southampton por 8 milhões de libras goza um dos melhores momentos da sua carreira. Primeiro porque tem sido o abono de família do Southampton. O italiano de 29 que até aqui nunca representou um grande italiano (Lecce, Catania, Crotone, Cesena, AZ Alkmaar, Parma, Sampdoria e Feyenoord) é um dos melhores marcadores da Premier League até ao momento com 4 golos em 6 jogos (5 em 8 se somarmos os jogos realizados para todas as competições) e foi chamado por Antonio Conte para representar a Squadra Azzurra nos compromissos desta contra Azerbeijão e Malta.

Pellè insere-se num lote no qual Mario Balottelli não faz parte. O guarda-redes Perin do Genova, os defesas Angelo Ogbonna da Juventus, Manuel Pasqual da Fiorentina (apesar de não estar a ser titular em todos os jogos da Viola; Vincenzo Montella tem apostado imenso no espanhol Marcos Alonso) Rugani do Empoli, os médios Marco Parolo da Lazio, os médios-ala\extremos Bonaventura do Milan, Alessandro Florenzi da Roma e os avançado Simone Zaza do Sassulo são as grandes novidades da convocatória do antigo treinador da Juve que, ainda está a aproveitar jogos de menor dificuldade para observar jogadores potencialmente convocáveis para este ciclo de 2 anos.

Grandes ausências da convocatória para além de Balotelli são por exemplo  Riccardo Montolivo (Milan; por lesão), Gabbiadini (para já riscado por Conte), Alessio Cerci (Atlético de Madrid) Stephen El-Sharaawy ou Antonio Cassano.

Arsène Wenger\José Mourinho – A FA não irá castigar os dois treinadores pelo incidente realizado à passagem do minuto 20 do derby disputado no domingo. A federação Inglesa não irá actuar porque segundo o árbitro da partida, Martin Atkinson, os dois treinadores responderam positivamente ao aviso que foi feito por si aquando do acto.

Arsène Wenger não se mostrou arrependido do sucedido: “Não estou arrependido do empurrão. Tenho de estar arrependido do quê? Queria ir do ponto A para o B e alguém surgiu no meu caminho e confrontou-me antes de chegar ao ponto B. Queria ver qual era a gravidade da lesão de Alexis Sànchez» – O francês também acusou Mourinho de falta de fairplay.

Laurent Koscielny afirmou na chegada ao estágio que a selecção francesa irá fazer no centro de rendimento de Clermont-Ferrand que o seu treinador estava irritado pelo facto de uma entrada que tinha sido feito 4 dias antes por parte de um jogador do Galatasaray sobre Alexis Sanchez ter sido punida com um amarelo e, a entrada que motivou o celeuma (feita por Gary Cahill) não ter sido punida com qualquer cartão. Sabemos bem o quão é apertado o critério disciplinar dos árbitros ingleses…

Já Mourinho realçou que aquele não é o típico comportamento de Wenger: “São duas questões técnicas que estão em causa. Ele entrou no meu espaço. Se era para dar instruções a um jogador tudo bem, mas para pressionar o árbitro a dar um cartão vermelho a um jogador não é justo. Acho que esta não é a imagem de fair play que Wenger deve dar»

Mario Balottelli – O Diário Espanhol Sport noticia hoje que o Liverpool decidiu colocar uma pessoa a vigiar Mario Balottelli para onde quer que o italiano vá na sua vida pública e privada. O clube inglês pretende salvaguardar que o avançado italiano não faz cenas lamentáveis como as que fez em Manchester (orgias com prostitutas, o incêndio que provocou em sua casa) ou em Itália (apanhado a fumar em discotecas, apanhado pela polícia a conduzir alcoolizado) até porque, no contrato de compra e venda que celebrou com o Milan há uma cláusula que obriga os rossoneri a devolver ao Liverpool os 17,6 milhões de libras pagos pelos Reds em caso de mau comportamento continuado do jogador.

Marco Reus – Ao fechar pela 3ª vez a porta à renovação com o Borussia de Dortmund, o Sport notícia que o Barcelona entrou na corrida por Marco Reus. Liverpool, United e Bayern de Munique serão os principais interessados no meister do futebol alemão actual. O jogador alemão já avisou que poderá anular a clásula contratual que detém com o clube da Vestfália, na qual, em 2015, anulando esta cláusula o jogador poderá sair para qualquer clube que pague 25 milhões de euros pelos seus direitos económicos. É possível que o internacional alemão esteja a pressionar o clube germânico para sair na reabertura do mercado em Janeiro.

Thomas Vermaelen – O internacional Belga contratado pelo Barcelona ao Arsenal no Verão por 15 milhões de libras é um dos maiores casos de imprensa do país vizinho. O belga ainda não somou qualquer minuto na equipa culé devido a sucessivas lesões que o tem afectado neste início de temporada. Numa coluna publicada na edição de ontem do Sport, um colunista chegou a interrogar se o jogador foi observado pelos médicos do clube nos habituais exames médicos antes de assinar. A suspeita deverá marcar a actualidade dos próximos dias. Vermaelen voltou a treinar à parte hoje numa sessão de treino invulgar dirigida por Luis Enrique com apenas 10 jogadores (5 da equipa principal e 5 da equipa B) derivado do facto de grande parte dos jogadores das duas equipas estarem ao serviço de selecções AA e selecções jovens de vários países.

Daniel Alves\José Mourinho – José Mourinho respondeu à boca do lateral direito do Barcelona (“Mourinho não inventou o futebol… não descobriu nada!!”) – Com um toque de inteligência o português ridicularizou o brasileiro ao afirmar: “Nem Einstein o poderia ter dito melhor. Daniel Alves tem toda a razão: eu não inventei o futebol, mas foi um português que descobriu o Brasil!”

João de Deus

Sporting – A Sporting SAD anunciou ontem a contratação de João de Deus como o novo técnico da sua equipa B. O antigo treinador do Gil Vicente esteve poucas semanas no desemprego após ter sido despedido da equipa gilista. João de Deus orientou como treinador principal a Selecção de Cabo-Verde, o Ceuta, Farense, Atlético, Oliveirense e Gil Vicente. Sucede a Francisco Barão que se mantem como treinador adjunto da equipa depois de a ter orientado interinamente após o despedimento de Abel ainda na pré-temporada.

Hugo Almeida – O jogador português assinou pelo Cesena da Serie A italiana depois de ter passado com sucesso pelos habituais exames médicos. O Cesena ocupa neste momento o 13º lugar da Lega Calcio.

Federação Espanhola – Na antevéspera do referendo que levará os Catalães a decidir pelos destinos daquela região (independência ou permanência sob a soberania de Madrid) o presidente da Liga de Clubes Espanhol Javier Tebas colocou alguma pressão nos sentimentos dos catalães ao afirmar que caso os cidadãos daquela região votem favoralmente à independência “Barcelona e Espanyol não jogarão a Liga Espanhola”. O lider do organismo que organiza a competição remeteu as suas declarações à Lei do Desporto em vigor. A mesma lei autoriza apenas a competição dentro das competições organizadas por entidades espanholas a clubes não-espanhóis de Andorra.

Montpellier –

montpellier

O mau tempo que se faz sentir em toda a europa já provocou alguns estádios de futebol. Esta era a imagem do estádio La Mousson, propriedade do Montpellier durante a manhã de hoje.

Tempos e resultados – Ligas Europeias

Liga portuguesa 3

Na Liga Portuguesa, os 3 grandes somaram os 3 pontos. O Sporting venceu em Penafiel por 4-0 com uma exibição categorica na 2ª parte e esteve quase a recuperar 2 pontos a Benfica e FC Porto.
Na Luz contra o Arouca, a equipa benfiquista viu Jonas marcar o seu primeiro golo na suada vitória frente ao Arouca, conseguida também no 2º tempo. No Dragão, o Porto também teve que puxar dos galões para derrotar um Braga que merecia muito mais que a derrota pelas claríssimas oportunidades de golo que construiu durante os 90 minutos.

A abrir a jornada, o Guimarães solidificou o excelente arranque de liga que está a realizar (os vimaranenses ainda só perderam 7 pontos em 7 jornadas) com uma vitória esclarecedora sobre o Boavista de Petit. A turma boavisteira vinha de 3 jogos sem perder.

Sem ganhar na Liga continuam Penafiel e Gil Vicente. Os homens de Barcelos empataram frente ao Estoril. A turma de José Couceiro também não está a conseguir transpor para o plano doméstico os bons resultados que tem conseguido na Europa onde, venceu categoricamente na quinta-feira o Panathinaikos na Amoreira.

Na próxima jornada, daqui a 3 semanas (primeiro teremos pausa para selecções e na semana seguinte irá disputar-se a 3ª eliminatória da Taça) o Sporting irá receber em Alvalade o Marítimo, o Benfica terá uma deslocação difícil ao estádio Axa para defrontar o Braga enquanto o FC Porto tem uma deslocação também muito difícil ao pesado terreno do Arouca.

Facto digno de registo é também o número de golos que se tem marcado em média nos jogos da Liga nas primeiras 7 jornadas: 2,46 golos por jogo. Numero fantástico para uma liga que era acusada há alguns anos atrás de ser uma das ligas europeias mais deficitárias neste capítulo.

liga espanhola 3

A nota de destaque óbvia da 7ª jornada da Liga Espanhola vai para a vitória do Valência sobre o Atlético de Madrid no jogo realizado no sábado no Mestalla. André Gomes marcou um dos golos (que grande golo, diga-se) na vitória dos chés contra os colchoneros.

Destaque também para a vitória do Barcelona no terreno do Rayo em Santa Maria de Vallecas (arredores de Madrid), vitória que permitiu aos catalães manter a liderança da prova e ampliar a diferença pontual para o campeão em título de 2 para 5 pontos.

No encerramento da jornada, Cristiano Ronaldo brindou o Bernabéu com mais uma exibição de gala coroada numa goleada por 5-0 frente ao calamitoso Athletic de Bilbao de Iker Muniain e Ernesto Valverde. Quem viu a partida na qual CR7 apontou mais um hat-trick (tem mais de 2 golos de média por jogo na Liga; 6\13) ficou com a ideia que Ronaldo poderia ter logrado marcar muitos mais, tal foi a apetência ofensiva demonstrada pelo português durante os 90 minutos.
A equipa de Valverde continua a varrer o anûs da Liga Espanhola, podendo estar para breve a demissão do técnico espanhol do comando dos bascos nesta que seria esperada a época de afirmação do clube basco na Liga Espanhola e nas competições europeias.

Destaque ainda para o fantástico empate a 3 bolas entre Eibar e Levante num jogo em que os bascos tiveram a vitória nas mãos por duas vezes e para a goleada imposta pelo Sevilla ao Deportivo no Sanchez Pizjuan por 4-1 no domingo de manhã, vitória que permite à equipa de Emery continuar a morder os calcanhares de Valência e Barcelona. A Liga espanhola está de facto muito equilibradíssima no topo da tabela, com 5 equipas separadas por apenas 5 pontos.

Na próxima jornada, dentro de 2 semanas, o Real Madrid vai ao Cidade de Valência defrontar o “aflito” Levante, o Athletic de Bilbao tentará reverter a série de maus resultados contra o Celta (a equipa de Vigo é para já uma das equipas sensação do campeonato em conjunto com o Sevilla) no San Mamés, o Barcelona recebe o Eibar em Camp Nou, o Valência vai a casa do facilmente transponível Deportivo (19 golos averbados em 7 jogos; dá quase uma média de 3 por jogo) enquanto o Sevilla vai ao terreno do Elche.

liga inglesa 2

Na Premier League, o principal destaque vai para a vitória do Chelsea por 2-0 sobre o Arsenal, afundando os Gunners na tabela classificativa (estão fora dos lugares europeus).

Em Old Trafford, assistiu-se ao primeiro jogo que Radamel Falcao decidiu a favor do United frente ao sempre difícil Everton de Roberto Martinez.

O City venceu em Birmingham o Aston Villa por 2-0 com dois golos tardios de Kun Aguero e Yaya Touré enquanto o Liverpool voltou às vitórias em Anfield Road frente ao West Bromwich Albion por 2-1.

Quem ocupou uma vaga nos lugares europeus nesta 7ª jornada foi o Tottenham de Mauricio Pocchettino, precisamente, após ter vencido a anterior equipa do técnico argentino, o Southampton de José Fonte. A realizar um excelente campeonato (3ºs com 13 pontos), os Saints viram a sua cavalgada na tabela interrompida pelo Tottenham graças a um golo do “cérebro da nova máquina” de Pochettino, o dinamarquês Christian Eriksen, adversário de Portugal na caminhada para o Euro 2016. Esperemos que Eriksen faça uma péssima exibição frente à turma das quinas no jogo da próxima semana.

Na próxima jornada, como a Premier League tem equipas expcecionais para nos dar um jogo grande por jornada, teremos como cabeça-de-cartaz o jogo que vai opor o Manchester City ao Tottenham no City of Manchester. As duas equipas estão separadas por 3 pontos na tabela classificativa. Os Citizens são segundos a 5 pontos do líder Chelsea. Os Spurs, sextos na tabela, poderão galgar mais lugares caso vençam na grande cidade industrial inglesa.
O Arsenal recebe o Hull City no Emirates. O croata Nikica Jelavic é um homem a ter em conta pela frágil defesa dos Gunners. O croata leva 4 golos em 7 jogos. O Chelsea joga um derby de Londres frente ao Crystal Palace enquanto Liverpool e United vão respectivamente aos terrenos de QPR (lanterna vermelha) e West Bromwich Albion.

liga italiana 2

Na Liga Italiana, a Juventus tornou-se a única equipa invicta no campeonato à 6ª jornada devido ao facto de ter derrotado a outra que mantinha o mesmo estatuto, a AS Roma de Rudy Garcia. Os Romanos não contarão com o técnico francês no banco na recepção ao Chievo na próxima jornada.

A Fiorentina bateu categoricamente o Inter por 3-0 no Artemio Franchi enquanto o Milan aproximou-se dos primeiros lugares com a vitória sobre o Chievo por 2-0 no San Siro. A Sampdoria continua a dar cartas nesta Serie A com uma vitória pela margem mínima (golo do internacional italiano Manolo Gabbiadini) sobre a Atalanta de Bérgamo.

Na próxima jornada, os jogos grande serão disputados entre Fiorentina e Lazio em Firenze e Inter e Napoli. Ambas as equipas precisam de vencer para ascenderem novamente aos lugares europeus. A Juventus irá a Sassuolo cilindrar a equipa de Eusébio Di Francesco. O lugar do antigo internacional italiano no clube da Emília-Romagna está novamente em risco. Não será de admirar que em caso de derrota contra a equipa de Turim, o presidente do clube Carlo Rossi perca a paciência com o técnico e, dentro de mês e meio, caso o novo treinador não apresente resultados, volte novamente a contratar o técnico despedido. É recorrente em Itália existirem essas situações de técnicos que são despedidos e readmitidos várias vezes após o despedimento daqueles que os sucederam.

O Milan vai ao terreno do Hellas Verona de Luca Toni e Javier Saviola, equipa que mesmo apesar de ter perdido o seu maior artista (na temporada passada) Juan Manuel Iturbe para a AS Roma (adquirido ao FC Porto e vendido à equipa Romana) tem ameaçado lutar pelos lugares europeus. O Hellas é uma equipa muito experiente, composta por jogadores como Luca Toni, Javier Saviola, Rafa Marquez, Lazaros Christodoupoulos, Panagiotis Tachsidis, Nenê (ex-Nacional da Madeira) ou Bosko Jankovic.

Marselha

On-fire na Ligue 1 continua o Marselha de Marcelo Bielsa. A equipa de Marselha perdeu recentemente Mathieu Valbuena para o Dinamo de Moscovo, mas, pelos vistos tal transferência não abalou uma equipa que gosta de atacar com lascividade e pressionar alto durante grande parte do jogo, como de resto gosta El Loco, alcunha ganha por Bielsa na argentina devido ao facto das suas equipas falharem nos momentos-chave por causa do pressing a todo o campo que o argentino pretende por em marcha em todas as equipas que orienta durante 70 minutos.

Na 9ª jornada, a equipa de Bielsa foi a Caen vencer a equipa local por 2-1 com mais um golo (tardio mas salvador) de André-Pierre Gignac aos 93 minutos a dar os 3 pontos à equipa que tem como lema “droit au but” – “directos ao objectivo” – de serem campeões novamente, claro.

Gignac deu 3 pontos fulcrais à equipa marselhesa numa jornada em que:

– Os Girondinos de Bordéus perderam no terreno do Reims por 1-0. O cabo-verdiano Odair Fortes marcou o único golo de uma partida onde os girondinos de Tiago Ilori não conseguiram meter velocidade nos seus processos ofensivos para ultrapassar a muralha defensiva do Reims. Esta equipa do Reims, apesar de ocupar um modesto 16º lugar na tabela classificativa da Ligue 1 é uma equipa que gosta de jogar essencialmente num bloco defensivo baixo e sair rapidamente no contra-ataque por intermédio dos flancos, ora pelo cabo-verdiano Odair Fortes (em minha opinião, o jogador mais dotado tecnicamente da equipa) ora pelo flanco contrário onde se posiciona o internacional cabo-verdiano Benjamin Moukandjo.

– No grande jogo da jornada, o PSG perdeu mais 2 pontos (já são 12 os perdidos no total deste campeonato à 9ª jornada pela turma de Laurent Blanc no campeonato) ao empatar com o Mónaco de Leonardo Jardim no jogo grande da jornada disputado no Parc des Princips:

As falhas da defensiva parisiense deverão estar neste momento a incomodar o sossego do seu treinador.

Na próxima jornada, o PSG irá ao terreno do Lens, o antepenúltimo classificado da Ligue 1 enquanto o Mónaco recebe o Evian, o Marselha o sempre difícil Toulouse e o Bordeus o Caen. À espreita por um lugar nas competições europeias estão o Lyon e o Montpellier (de jogadores como Geoffrey Jourdain, Hilton, Siaka Tiéne, Lucas Barrios, Victor Montaño), duas equipas que irão jogar entre si na 10ª jornada.

liga alemã

Na Liga alemã destaque para mais uma goleada do Bayern de Munique por 4-0 frente Hannover, vitória que reforça o estatuto de líder dos bávaros numa jornada em que o Dortmund de Klopp voltou a perder no Westfallen Arena, desta feita frente ao modesto Hamburgo. O Hamburgo venceu pela primeira vez na Liga ao fim de 7 jornadas e está, imagine-se apenas a 3 pontos do Borussia de Dortmund. Outro dos contenders, o Bayer de Leverkusen empatou em casa contra o Paderborn a 2 bolas.

Na próxima jornada, o Bayern de Munique recebe a traiçoeira equipa do Werder Bremen. Os homens de Robin Dutt estão no último lugar com 4 pontos fruto de 4 empates e 3 derrotas. São uma equipa que gosta essencialmente de jogar em contra-ataque. O Bayer de Leverkusen vai ao terreno do Estugarda (a equipa orientada por Armin Veh ainda só ganhou por 1 vez este ano; tem jogadores como Gotoku Sakai, Karim Haggui, Moritz Leitner, Oriol Romeu, Christian Gentner, Adam Hlousek, Filip Kostic ou o avançado sérvio Vedad Ibisevic) enquanto o Borussia de Dortmund terá forçosamente de ganhar no terreno do Colónia.

Crónica #18 – Fiorentina 3-0 Inter

Khouma Babacar acertou finalmente com a baliza, num jogo em que a equipa de Mazzarri voltou a demonstrar dois dos seus maiores défices colectivos: a incapacidade de ser uma equipa com jogadas ofensivas criativas (a equipa não tem alguém capaz de desequilibrar no meio-campo e nas alas) e a falta de pressão que reina na equipa milanesa, esta última, por mais uma vez nesta temporada, culpada de mais uma derrota para o campeonato.

Apresentando-se no Artemio Franchi com o novo patrocinador estampado nas camisolas (a Volkswagen), a Fiorentina de Vincenzo Montella tinha como missão dar sequência aos bons resultados obtidos tanto na jornada do fim-de-semana passado como na quinta-feira para a Liga Europa, de forma a subir na tabela classificativa e a aproximar-se dos lugares europeus depois de 4 jogos pouco conseguidos para a Serie A no arranque da temporada. Na equipa da Fiorentina, Vincenzo Montella não pode contar com Joaquin, Mario Gomez, Facundo Roncaglia, Micah Richards, Marko Marin e Giuseppe Rossi, todos a contas com lesões. Montella decidiu mexer no onze que tinha enfrentando na quinta-feira passada o Dinamo de Minsk, promovendo uma saudável rotação no onze com as entradas de Matias Fernandes para o lugar de Borja Valero e do esloveno Jasmin Kurtic (emprestado pelo Sassuolo) para a direita do ataque por troca com o seu compatriota Josip Ilicic.
Já Walter Mazzarri não pode contar com o japonês Yuto Nagatomo por castigo (expulso frente ao Cagliari) e com os lesionados Hugo Campagnaro, Freddy Guarin, Gaby Mudingayi e Federico Bonazzoli. Novidade no onze do técnico do Inter foi Mauro Icardi por troca com Rodrigo Palácio. A troca deu mais poder de fogo à equipa mas retirou-lhe a habitual criatividade e oferta de linhas de passe que o argentino Palácio oferece com as suas constantes movimentações para os flancos. O francês Yann M´Vila ganhou um lugar no onze ao lado de Gary Medel no eixo mais recuado do meio-campo por troca com Hernanes. O brasileiro só viria a entrar na partida a meio da 2ª parte.

O jogo não poderia ter começado melhor para os Viola. Sem que tivessem justificado qualquer golo, duas acções individuais valeram meia vitória para a equipa de Firenze:
– aos 6″ Khouma Babacar inaugurou o marcador num excelente trabalho individual seguido de um remate fantástico que violou as redes de Handanovic. Repare-se na forma em como o senegalês, atipicamente rodou para tirar o jogador do Inter do caminho e sem qualquer oposição no pressing atirou para o primeiro golo da partida.- aos 18″ Juan Cuadrado atirou da esquerda para mais um grande golo. Novamente Mazzarri deve-se ter questionado o porquê de ninguém ter saído ao encontro do colombiano depois deste ter tirado Medel com um drible rápido e ajeitado a bola para um remate de uma das suas zonas preferidas da carreira de tiro de meia distância.

Pelo meio, o Inter tentava reagir. Montella foi mais esperto que Mazarri. Não pressionando alto durante todo o jogo para não desgastar os seus jogadores, optou por defender com um bloco médio, altamente pressionante no meio-campo, principalmente sobre o grande estratega desta equipa do Inter, o croata Kovacic. A única situação de perigo que o Inter iria construir neste primeiro tempo foi um remate de Mauro Icardi aos 11″ quando a equipa já perdia por 1-o com a bola a passar muito perto do poste esquerdo da baliza de Norberto Neto.

Até ao final da primeira parte, a Fiorentina iria gerir o jogo a seu belo prazer, criando mais 2 situações de perigo quando:
– aos 25″ Jasmin Kurtic trabalhou sobre Dodô na direita e atirou cruzado com Juan Guillermo Cuadrado a falhar por milimetros a emenda que daria o 3-0 e provavelmente o game-over no jogo.- aos 44″ Khouma Babacar (muito móvel durante toda a partida; o próprio meio-campo Viola também foi muito móvel no sentido em que Alberto Aquilani e Matias Fernandes rodaram muitas vezes de posição entre si assim como avançaram e recuaram muitas vezes no terreno para melhor se adaptarem ao posicionamento do bloco de meio-campo do Inter e assim conseguirem receber as transições quase sempre iniciadas por David Pizarro) foi à esquerda e rematou para defesa apertadíssima de Samir Handanovic.

Na 2ª parte, a equipa do Inter tentou reagir. A equipa milanesa começou a variar o jogo entre flancos. Um dos problema desta equipa está efectivamente nos flancos. No miolo a equipa consegue circular a bola, mas, para flanquear o jogo tem que ter laterais mais fortes no 1×1 e bem ajudados pelos médios interiores através de movimentações para a linha ou para dentro se a equipa contrária estiver a defender as alas com 2 jogadores. Se no lado direito Danilo D´Ambrosio ainda teve a sorte de atacar Marcos Alonso (não lhe ganhou um duelo individual 1×1 durante toda a partida) do outro lado Dodô foi muito escasso para um flanco onde Nenad Tomovic defendeu e atacou melhor e teve a ajuda de Kurtic praticamente durante 90″. Isso obrigou o Inter a ter que jogar para Icardi e Osvaldo, que, apesar de um ou outro lance em que conseguiram receber a bola na área ou à entrada desta com condições para finalizar, foram na maior parte das vezes bem marcados, anulados ou incomodados pelos dois centrais da Fiorentina (Stefan Savic e Gonzalo Rodriguez). Outro dos problemas está no horrível estaticismo de alguns jogadores. A equipa está a jogar num autêntico esquema “stick to position” em que cada jogador não sai da sua posição para oferecer linhas de passe e no qual parecem não existir movimentações, cortes nas costas da defensiva, movimentações diagonais clássicas, um avançado capaz de fazer o que Rodrigo Palácio faz (Icardi ainda tentou ir buscar algumas bolas à direita mas não criou perigo daquele flanco) e assim criar desequilíbrios.

O que faltava ao Inter, abonava em excesso na Fiorentina. A veterania é um posto. Por isso é que David Pizarro ainda é aos 35 anos um jogador muito influente em Firenze. Com calma, o Chileno conseguiu distribuir muito bem para os seus colegas de meio-campo ou variou com eficácia o jogo entre flancos. Nos flancos, a Fiorentina atacou quase sempre em superioridade numérica devido à subida q.b dos seus laterais e a outro dos problemas da equipa de Mazzarri. Quem defende com 3 centrais contra 1 ponta-de-lança deverá obrigar os 2 centrais mais descaídos para as alas a fazer as dobras aos laterais. No caso de Juan Guillermo Cuadrado quem fez quase sempre as dobras às falhas do lateral foi Gary Medel.

tomovic

A equipa Viola geriu o jogo conforme quis, esteve perto do 3-0 quando Juan Guillermo Cuadrado tabelou com Khouma Babacar à entrada da área, voltou a receber, entrou dentro desta e atirou para uma grande defesa de Handanovic, e consumou o resultado final aos 76″ com um fabuloso remate de Nenad Tomovic. O sérvio lançou-se aos adeptos Viola para efusivos festejos que duraram certamente perto de 1 minuto.

Com esta vitória categorica, a equipa de Vincenzo Montella ascendeu à 9ª posição do campeonato com 9 pontos, por troca com o Inter que agora é 10º com 8 pontos. A equipa de Firenze está a 5 pontos do 3º lugar (surpreendentemente ocupado pela Sampdoria) e a 4 da Udinese e 3 pontos do Milan. Na próxima jornada, a 19 de Outubro, a equipa de Firenze recebe outro candidato europeu, a Lázio, equipa que está na 8ª posição da Serie com os mesmos pontos. O Inter recebe o Napoli, equipa que está na 7ª posição com 10 pontos.