De Alvalade – anotamentos

1. três ofertas. A oferta feita pela defensiva leonina no golo do Belenenses; a retribuição em espécie da defensiva de belém no golo de Carrillo e os 45 minutos de oferta (com bónus de um futebol previsível durante o 2º tempo) que o Sporting deu na primeira parte de um jogo que se pretendia de vitória tranquila.

2. Na 2ª parte.

2.1 a intranquilidade clara de Naby Sarr. Nas suas costas Deyverson apareceu duas vezes na cara de Rui Patrício, precisamente em dois lances onde o posicionamento do lateral francês deixou a desejar e este demonstrou uma clara falta de velocidade para acompanhar o avançado do Belenenses. Noutra situação, ao desarmar um adversário colocou a baliza do titular da selecção em perigo com um autêntico balão para a sua área. Em duas situações, o francês esqueceu-se que o seu guardião não dá uma para a caixa com o pé direito. Não hesitou em colocar a bola para esse mesmo lado nas duas situações.

2.2 A mecânica de um jogo flanqueado altamente previsível – Se fosse treinador do Belenenses deixaria os extremos do Sporting cruzar à vontade. Em mais de 10 situações em que a bola previsivelmente foi parar aos pés de Nani, Esgaio, Capel e Jefferson, todos conseguiram ter espaço para conseguir centrar para a área mas não conseguiram colocar a bola com peso e medida para a cabeça de Islam Slimani…

2.3Que… Foi inversamente solicitado pelos seus colegas para efectuar tabelinhas pelo centro do terreno. Carlos Mané e Nani, este último quando saiu para direita para o centro do terreno, por várias vezes tentaram criar com recurso a tabelas com o seu ponta-de-lança. O internacional português pecou novamente por excessivo individualismo.

2.4 – Qual é mesmo a posição de Nani?

2.5 – Uma equipa que pretende ser campeã não pode falhar tantos passes – Esgaio, Adrien e William Carvalho. Ineficácia por demais.

2.6 – Uma equipa que pretende ser campeã não pode falhar tantas oportunidades de golo – Capel foi novamente o mais esforçado dos atletas leoninos. É justo criticar o extremo espanhol nas limitações várias que apresenta a sua forma de jogar. Porém, jamais lhe deverão criticar o profissionalismo e o esforço que emprega em todas as partidas. Esteve perto de marcar de cabeça ao 2º poste mas João Afonso tirou-lhe o pão da bola. Se no outro lado do rectângulo de jogo, Deyverson falhou duas vezes na cara de Patrício, deixando no ar a sensação que o Belenenses facilmente poderia ter retirado 3 pontos de Alvalade, na área de Matt Jones, a equipa leonina foi altamente perdulária. Esgaio deveria ter feito mais quando tinha tudo para desfeitiar as redes do guardião inglês, Slimani permitiu-lhe uma excelente defesa, Nani viu um remate certeiro bloqueado e nos últimos momentos da partida, a cortina defensiva do Belenenses impediu o tardio golo da vitória.

2.7Slimani… fez penalty na área leonina num canto do Belenenses. Se não estou em erro sobre João Afonso. Erro ou não da primeira parte, é bem visível o puxão do argelino ao jogador do clube da cruz de cristo.

2.8 – No contra-ataque – Não considero que esta forma de jogar seja a arma dos mais fracos quando visitam o terreno das equipas com maior gabarito. Cada equipa joga com as armas que dispõe para prosseguir os seus objectivos. A equipa de Lito Vidigal mostrou que tem o seu contragolpe bem oleado. Com lançadores tecnicamente hábeis como Miguel Rosa (o patrão da equipa) e Bruno China e um homem rápido na frente como Deyverson, esta pode ser a solução que Lito Vidigal idealizou para cumprir os objectivos a que se propôs na presente temporada. O brasileiro precisa apenas de trabalhar a sua finalização.

3. Cosme Machado – À excepção do lance acima enunciado, o árbitro da AF de Braga analisou com correctidão 90% dos lances que mereceram a sua atenção. No final da partida borrou a pintura toda quando expulsou Jefferson com o 2º amarelo num momento peculiar da partida em que o lateral-esquerdo conjuntamente com Nani tentaram puxar um adversário para fora do campo quando este tentava, de forma lógica para quem conhece profundamente as manhas do jogo, simular uma lesão e praticar anti-jogo. Não bastasse a profunda estupidez de expulsar o lateral do Sporting, não cumprindo o mesmo critério disciplinar com o colega que ajudou a praticar a acção (Nani) ainda cometeu a idiotice de empurrar ostensivamente o jogador do Sporting. A atitude demonstrada pelo árbitro de Braga perante as leis da FIFA (agressão a um jogador) e só e somente passível de um castigo que vai de 1 temporada sem exercer as funções à irradiação do ofício.

4 – Nota negativa para a equipa técnica e jogadores suplentes do Belenenses – Lito Vidigal e o seu adjunto José Luis entraram por 3 vezes dentro de campo; o banco do Belenenses passou os últimos 15 minutos de pé e chegou mesmo a atirar bolas para o relvado de forma a criar confusão num momento em que o Sporting já jogava com o credo na boca.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s